Guia: Como vestir o bebê corretamente de acordo com o clima

Uma das maiores dúvidas e cuidados que as mamães e papais mais têm, é com a forma de vestir os bebezinhos, afinal os pequenos ainda não desenvolveram um controle de temperatura como nós adultos e por isso é sempre bom ter uma atenção especial na hora de colocar as roupinhas nos bebês.

Pensando nisso, nós da Dipano preparamos esse guia completo para ajudar todos os papais de plantão a saber como vestir o bebê de acordo com o clima, vamos conferir?

Tudo o que você precisa saber sobre como vestir o bebe

Como a gente já mencionou ali em cima, é sempre importante lembrar que os bebezinhos tem mais dificuldade de manter a temperatura corporal deles e por isso precisamos ter bastante cuidado e atenção na hora de escolher as roupinhas do dia.

A primeira dica que vamos passar para os papais é sempre conferir a previsão do tempo do dia, porque dessa forma a gente consegue levar em conta as variações de temperatura possível na hora de fazer a mala do bebê, conseguindo ajudar e proteger nossos pequenos da melhor forma. Você também pode conferir nosso conteúdo sobre o desenvolvimento do bebê mês a mês, aqui!

Outro jeito de conseguir se basear é sempre tentar deixar o bebê com pelo menos uma peça a mais do que os adultos! Agora que já explicamos essa estratégia importante, vamos falar de como escolher cada roupinha para cada temperatura e aprender a como vestir o bebê de acordo com o clima, vamos nessa?

O que vestir no bebê no verão e dias quentes?

No Brasil é muito comum fazer aquele calor boa parte do ano, e mesmo assim as vezes ficamos com duvidas de como vestir os pequenos, já que eles tem o corpinho e pele bem mais sensível do que a nossa. E está corretíssimo, por isso, siga a seguinte listinha para se guiar e organizar como vestir o bebê de acordo com o clima mais quente:

  • De 26ºC para mais quente: coloque um body ou camiseta de manga curta no bebê;
  • De 24º à 25ºC coloque um body de manga curta e um shorts;
  • De 22º à 23ºC já pode colocar um body comprido e calça cumprida;

É importante lembrar de sempre conferir se o neném não está ficando com calor ou frio, está bem? Dessa forma você pode tirar ou colocar as peças para deixar o pequeno mais confortável e seguro.

Caso perceba que o bebê está com frio, tente colocar uma meia bem quentinha e um boné, porque dessa forma você cobre as extremidades do pequeno e evita que ele perca ainda mais temperatura. Se mesmo assim o pequeno estiver com frio, coloque uma blusa.

Como saber se o bebê esta com calor?

As vezes pode parecer complicado para os papais e mamães saber se o bebê está com calor, já que eles ainda não aprenderam a se expressar com palavras. Mesmo assim, tem alguns indícios que você pode ver para saber se o pequeno está com calor:

  • Testa e nuca molhadas (suadas);
  • Vermelhidão pelo rosto;
  • Bebê muito inquieto e incomodado;
  • Colocar a mão na barriga ou nas costas do neném e ver se está muito quente.

Confira também: guia da introdução alimentar aos bebês

Como saber se o bebê está com frio?

Agora, quando estiver em dúvida se o seu filho pequeno está com frio ou se ele precisa de uma peça a mais para se esquentar, pode ser feito de um jeito simples. Apenas coloque a sua mão diretamente na barriga, no peito ou nas costas do bebê para conferir a temperatura e ver se ele está gelado.

É importante lembrar os papais que conferir a temperatura pelas mãos, pés ou cabeça não é recomendado, porque essas extremidades são sempre mais geladas, já que são os pontos de maior perda de calor.

Com quantos meses o bebê pode ficar só de fralda?

Outra dúvida muito frequente é quanto a deixar o neném apenas de fralda, especialmente porque aqui no Brasil o calor costuma ser muito intenso e durar praticamente o ano todo. A recomendação é que os bebês comecem a ficar apenas de fralda somente a partir dos seis meses, sempre tomando cuidado e evitando exposição ao sol, já que a pele dos pequenos é muito sensível!

Confira também nosso conteúdo sobre o que são fraldas ecológicas, vale a pena?

Qual a melhor roupa para o bebê dormir no calor?

E antes de passarmos pelos climas mais frios, vamos falar sobre as roupinhas de dormir. É preciso tomar um cuidado a mais porque os bebês, e inclusive os adultos, costumam perder muito mais temperatura quando estão dormindo e por isso é muito importante os papais tomarem certos cuidados e sempre colocar uma meia nos pezinhos.

De forma geral, conferir a previsão do tempo para a noite é essencial para tomar essa decisão, mas no final das contas, sempre dê preferencia para os tecidos de algodão, que deixam a pele dos bebês respirar mais e, por fim, passe nas dobrinhas dos pequenos mais gorduchos um hidratante ou óleo natural e neutro para bebês.

Confira também como tratar e prevenir assaduras nos bebês

Como vestir o bebê no frio?

Agora que os papais e mamães já sabem como vestir o bebê de acordo com o clima quente, vamos falar dos dias mais gelados. É importante lembrar que de 23º para baixo já é muito importante deixar o bebê com uma meia e evitar perda de temperatura, combinado? Outro detalhe essencial é que no frio você precisa aquecer o bebê em camadas, justamente para facilitar a retirada ou a adição de uma peça com muito mais facilidade! Vamos para a listinha então:

  • De 20º à 21ºC coloque um body curto com macacão comprido;
  • De 18º à 19ºC mude para um body comprido e um macacão longo;
  • De 16º à 17ºC vista o bebê com um body comprido, calça cumprida, macacão mais grosso

Confira também: sangue nas fezes do bebê, o que fazer?

Qual a melhor roupa para o bebê dormir no frio?

Quando falamos de preparar o bebê para dormir no frio, ainda precisamos lembrar de alguns detalhes e cuidados, por exemplo, como os pezinhos precisam estar sempre cobertos, só que é muito comum os pequenos se mexerem e acabar perdendo essa peça. Então nesses casos, tente dar preferência a um macacão com os pés e mãos fechadinhos.

Além disso, estude sempre a previsão do tempo da noite e coloque apenas uma peça a mais do que o recomendado acima, de preferencia uma não tão grossa. E atenção: nunca coloque mantas, cobertas ou outros itens no berço do bebezinho, porque corre o risco do pequeno se mexer e acabar se sufocando com a cobertinha, por exemplo! Sempre trabalhe com camadas de roupas!

Confira também nosso guia de quantas fraldas o bebe usa, descartável e ecológica.

O bebê precisa ficar sempre de meia?

De forma geral, sim. É o recomendado. Mesmo assim, é importante lembrar que o calor em nosso pais é bem intenso, por isso é sempre bom dar uma balanceada, ou seja, se o seu bebê for recém-nascido, é bom deixar sempre com uma meia, agora se ele é maiorzinho, é mais tranquilo deixar o bebê sem meia nos dias de calor muito severo. Vamos lembrar que bebês conhecem o mundo através dos sentidos e quando pequenininhos, o tato é fundamental para eles. Então evite colocar sapatos e luvinhas em dias em que a temperatura não exige, ok?

E então, o que achou de nosso guia sobre como vestir o bebê de acordo com o clima? Esperamos ter te ajudado a cuidar do seu bebê da melhor forma, o mantendo quentinho e seguro. Aproveite também para conferir nosso conteúdo sobre SOS cólica do bebê, como aliviar e quais são as causas? Até a próxima!

30 ideias de presentes para chá de bebê: confira!

Sobre alguns dos momentos mais memoráveis da gestação, o chá de bebê é um dos que mais se destaca. Tanto por ser um momento em família e amigos, quanto por ser uma grande ajuda para os pais, especialmente os de primeira viagem. Pensando dessa forma, é normal que tanto os convidados, quanto os papais, fiquem com dúvidas quanto ao presente. Por isso, fizemos este conteúdo completo, focado em ajudar na organização e na compra dos presentes, continue a leitura e confira:

O que dar de presente para chá de bebê?

Quando falamos de presentes para chá de bebê é importante que os papais façam uma lista dos itens que precisam, assim, aproveitam para não incluir os produtos que já foram adquiridos anteriormente. Dessa forma, fica bem mais fácil os convidados acertarem, e para isso você pode usar a lista abaixo para montar sua lista de presentes.

Agora, se você é um convidado, tente sempre seguir o que foi pedido pelos pais na lista, mas se chegou aqui porque não recebeu nenhum catálogo, as nossas sugestões abaixo vão ser de muita ajuda para você, por isso, venha dar uma olhada:

30 sugestões de presente para chá de bebê

Antes de entrar em detalhes nas sugestões que trouxemos, tem duas coisas que os convidados precisam levar em conta nessa escolha, sendo elas a utilidade e a proximidade com os presenteados. Pensando nisso, vamos conferir a lista abaixo?

1. Sacos impermeáveis

Essa opção de presente é ótima para ajudar no dia a dia dos papais, já que os sacos impermeáveis são reutilizáveis e ótimos para colocar fraldas ou roupas sujas quando eles estiverem fora de casa. O material usado é feito para evitar que o mau cheiro saia e segure a umidade. É um saquinho que tem uma vida bem longa e poderá atender ao seu filho já maiorzinho, sendo levado para creches ou escolas.

2. Fraldas

As fraldas são uma das peças mais importantes e indispensáveis quando o bebê nasce, e por isso que muitas pessoas chegam inclusive a fazer um chá de fralda. Dessa forma, se torna uma ótima forma de você ajudar e presentear os papais com esses itens. Nós recomendamos presentear com fraldas de pano ecológicas, pois são muito mais práticas, econômicas e sustentáveis.

Confira também: o que são fraldas ecológicas e como funcionam?

3. Trocadores portáteis

Os trocadores portáteis são um mimo que vão ajudar e muito os papais a cuidar dos bebês, isso porque são itens fáceis de carregar na bolsa e ajudam a oferecer locais mais limpos e confortáveis para fazer a troca da fralda dos bebês.

4. Livro para a mamãe ler para o bebê

Outra ótima opção de presente para chá de bebê são os livros infantis voltados aos recém-nascidos. Esses livrinhos são ótimos para os papais começarem a leitura para seus pequenos e, desde novinhos, já serem estimulados à leitura. Existem diversas opções no mercado, apenas confira a idade indicada para cada um deles.

5. Álbum do bebê

Uma opção de presente um pouco mais sentimental é um álbum de fotos, para que os papais possam ir preenchendo com memórias únicas, perfeito para ir revisitando ao longo dos anos.

6. Organizador de fraldas

Esse presente é mais útil para os papais do que para o pequeno, mas consegue ajudar e muito no dia a dia, afinal as fraldas precisam ser usadas e trocadas constantemente. Quando estão desorganizadas, fica bem mais difícil a dinâmica de trocas. Por isso, um organizador consegue dar uma grande ajuda aos papais.

7. Absorvente para seios

Também mais focado para as mamães, um kit de absorvente para seios vai fazer uma grande diferença para quem lida com o vazamento de leite durante o período da amamentação. A gente recomenda inclusive os modelos reutilizáveis, que normalmente são feitos em materiais muito mais confortáveis, causando menos irritações e sendo bem mais anatômicos e delicados para os seios.

8. Termômetro de banho

Os termômetros também são ótimas ideias de presente, justamente porque vão ajudar os papais na hora do banho dos bebês, auxiliando ainda a manter a temperatura da água na temperatura correta e trazendo um ambiente bem mais confortável para os pequenos.

9. Bomba de tirar leite

Especialmente para os papais e mamães que trabalham fora, a bomba de tirar leite é ótima para ajudar a armazenar na geladeira e carregar o leite materno em uma bolsa térmica, amamentando o pequeno em momentos mais complicados de conseguir dar o peito.

10. Lenço umedecido

Outro presente para chá de bebê que é bem bacana e vai ajudar bastante no cuidado do pequeno nos primeiros anos são os lenços umedecidos, especialmente os modelos biodegradáveis, feitos especialmente para evitar alergias ou irritações, assim como também são bem melhores para o planeta. Esses lencinhos podem ser usados para limpar o bebê depois da troca ou no banho.

11. Saco de roupas sujas

Como a pele dos bebês é bem mais sensível do que a nossa, é muito importante evitar o contato das roupinhas do pequeno com as dos outros moradores da casa, sendo lavados e armazenados de formas diferentes, evitando contato com bactérias que possam causar alergias ou problemas de pele no pequeno. Por isso, um saco de roupas sujas separado para o bebê é ótimo de se ter em casa.

12. Almofada de amamentação

As almofadas de amamentação são um ótimo mimo para toda a família, pois ajudam tanto a mamãe a segurar o bebê no colo durante a amamentação, quanto também deixa o pequeno bem mais confortável durante esse momento.

Confira também: quantas fraldas de pano devo comprar?

13. Mordedor

Durante os primeiros anos de vida, é muito comum que os pequenos fiquem incomodados com algum tipo de coceira ou simplesmente ter um estranhamento com seus novos dentinhos. Por isso, um mordedor é ótimo e ajuda bastante a aliviar essa situação. Os modelos coloridos e com chocalho são os melhores para os bebês.

14. Toalha ou roupão com capuz

Perfeito para criar momentos super fofos e divertidos, assim como também para deixar o bebê super confortável e animado durante banhos, as toalhas e roupão com capuz de animais e outras estampas coloridas são um ótimo presente para chá de bebê.

15. Brinquedos

Os brinquedos vão fazer boa parte dos primeiros anos de vida do bebê e nem sempre eles são baratos, por isso se tornam uma ótima ideia de mimo para os recém-nascidos. Então, caso sinta que quer dar alguma coisa mais focada no bebê, essa é uma ótima ideia.

16. Cesto organizador de brinquedos

Já pensando na ideia dos brinquedos, ter um espaço especifico para organizar tudo é bem importante, justamente porque é bem comum que os pequenos façam uma confusão na organização do quarto até uma certa idade. Por isso esses cestos vão ajudar e muito os papais.

Confira também: com quanto tempo de antecedência precisa lavar a roupa dos bebês?

17. Bolsa térmica

Pensando nos momentos fora de casa, que nem sempre é possível dar de mamar no peito para o pequeno, ter uma bolsa térmica de qualidade para manter o leite materno na temperatura correta, junto com águas e sucos, é muito importante!

18. Carregadores ergonômicos

Carregar o pequeno sempre nos braços não é uma opção e nem todos os lugares facilitam a passagens de carrinhos, pro isso um ótimo presente para chá de bebê são os “slings”, que são faixas de tecidos que, atados ao corpo de quem carrega, mantém o bebê seguro e confortável ou os “cangurus”, que mais parecem mochilas, com o mesmo objetivo de carregar o bebê. Com um carregador destes, é possível que os pais façam outras atividades enquanto mantém seu bebê bem juntinho do seu corpo..

19. Fralda de ombro e de boca

Outro item que ajuda muito na higiene diária do pequeno durante os primeiros anos de vida são as fraldas de ombro e de boca, podendo ser usadas com frequência. Esse é um mimo e tanto para os papais.

Confira também: com quantos meses o bebê senta sem apoio?

20. Roupas

Um dos presentes mais comuns de receber são as roupinhas, peças que são sempre boas de se ter uma boa quantidade, especialmente quando a gente recebe focado para vários climas e temperaturas. Você pode escolher entre as roupas de verão e inverno baseado na época do ano que está previsto o nascimento.

21. Babador

Assim como as fraldas de ombro, os babadores ajudam muito os papais a manter o rostinho do bebê sequinho e limpinho nos primeiros anos de vida e por isso se tornam uma ótima ideia de mimo para a família.

22. Gorrinhos, luvas e meias

Como os pequenos precisam de cuidados especiais, é muito importante manter as extremidades do corpo do bebê bem protegidas e quentinhas, por isso os gorrinhos, luvas e meias são ótimos presentes para manter a saúde e a temperatura do bebê em dia. Mas atenção: use luvas e meias somente se estiver frio. Lembre-se de que os bebês descobrem o mundo através dos sentidos e o tato é fundamental para essas descobertas.

23. Bolsa de passeio

Outro presente que vai ser muito útil para os papais e que vão ajudar bastante no dia a dia são as bolsas de passeios, ótimas para carregar as roupinhas para troca do bebê e também mais algumas opções de fraldas.

24. Redutor de claridade para carro

Os bebês são bem mais sensíveis aos fatores externos, como os raios solares, por exemplo. Por isso, um redutor de claridade é ótimo para deixar o carro mais adequado para o bebê e ajudar no sono do pequeno.

25. Cadeirinha para bebê

Para os familiares que são mais próximos dos papais, uma boa ideia de presente para chá de bebê é uma cadeirinha de carro para o bebê. Esse produto geralmente é um pouco mais caro, por isso, quando aparece na lista de pedidos dos pais, é comum que apenas os mais chegados decidam comprar. Mas, é um mimo e tanto.

Confira também: quantas fraldas o bebê usa? Descartável vs ecológica.

26. Banheira com suporte e trocador

Outro presente que vai ser muito útil nos primeiros anos de vida do bebê, especialmente os modelos que já vem com suporte e trocador, já que ajudam muito no cuidado do pequeno. Esse é um mimo que vai fazer realmente a diferença para os papais.

27. Esterilizador de mamadeira

Um esterilizador de mamadeira é algo mais opcional, já que cada um tem o seu jeito de esterilizar e limpar os itens do bebê. Mesmo assim, esses produtos ajudam a garantir praticidade e limpeza para que os primeiros anos de vida do bebê sejam mais tranquilos.

Não custa nada lembrar da importância do Leite Materno na alimentação do bebê e para isso é fundamental que não se use mamadeiras ou outros bicos que possam causar confusão e até rejeição do peito da mamãe.

28. Creme para assaduras

Os cremes para assadura são ótimos presentes, especialmente para os papais que vão preferir o uso de fraldas descartáveis. Esses cremes vão manter a pele do bebê com a oleosidade necessária e evitar que as dobrinhas ou partes em contato com a fralda acabem assando.

Caso a sua opção seja o uso de fraldas de pano, as pomadas preventivas serão dispensáveis. Compre apenas se houver necessidade, quando já estiver com o seu bebê.

Confira também: como tratar e prevenir assaduras do bebê.

29. Almofada de sementes

As almofadas de sementes funcionam como uma bolsa térmica de água ou gel. Para aliviar cólicas do bebê, aqueça essas almofadas no micro-ondas e coloque na barriguinha do bebê. O calor vai ajudar a aliviar as cólicas.

30. Kit de toalhas

Por fim, uma ideia bacana de mimo para o bebê que vai nascer é um kit de toalhas estampadas, especialmente aqueles feitos focado em bebês, com materiais que evitem irritação na pele dos pequenos.

E foi isso, esperamos que as nossas dicas e sugestões de presente para chá de bebê tenham te ajudado, mas caso ainda tenha alguma dúvida, escreve pra gente que a gente ajuda você! Aproveite também para conferir nosso guia da introdução alimentar para bebês. Até a próxima!

Mãe do corpo: entenda o que é o fenômeno no pós-parto

Imagem de mulher grávida

Sentindo muitas contrações mesmo depois de dar a luz? Respira fundo, pois está tudo bem. Isso é normal e acontece com muitas mamães. Você provavelmente apenas recebeu a visita da mãe do corpo, já ouviu falar dela?

Hoje, preparamos um conteúdo bem completo com tudo o que você precisa saber, desde as crenças até às confirmações cientificas sobre toda essa situação,

O que é mãe do corpo? Da crença à ciência

Imagem de mãe com seu bebê

Muitas coisas acontecem ou podem acontecer depois do parto, esse momento tão único na vida das mamães, desde fazer a exterogestação até as visitas inesperadas da mãe do corpo. Essa que é muito conhecida e abordada nas regiões do norte do Brasil, tanto que foi nomeada dessa forma na Amazônia.

A mãe do corpo é um fenômeno que acontece com algumas pessoas depois do parto, causando desconforto e movimentações dentro da barriga, como sentir algo se mexendo e causando um certo desconforto.

Segundo as crenças, a mãe do corpo não consegue mais achar o filho depois do parto e começa a buscá-lo pelo seu corpo, causando as movimentações e contrações. Mesmo esse assunto sendo levado bem a sério em regiões amazônicas, muita gente pode contradizer, mas o que será que a ciência acha de tudo isso?

O que a ciência diz sobre a mãe do corpo?

Essa ‘visita’ inquieta é comprovada pela ciência, mas é explicada de um jeitinho diferente. Pensando de forma biológica, quando a mulher engravida, a barriga se expande e cria um espaço confortável para o bebê ir crescendo aos poucos e, para isso, os órgãos vão se alinhando e se ajustando onde conseguem, certo? Só que depois do parto, eles precisam voltar pro lugar e isso leva um certo tempo.

Confira também: guia do desenvolvimento do bebê mês a mês!

Quais são os sintomas da mãe do corpo?

Alguns dos sintomas já foram citados ao decorrer do texto, né? Mas ainda tem outros que você pode encontrar, por isso fizemos essa listinha completa. Confere se já teve algum:

  • Estrias pela barriga;
  • Cólicas intestinais;
  • Prisão de ventre e gases;
  • Flacidez e inchaço temporário;
  • Corrimento vaginal depois do primeiro mês do parto;
  • Menstruação (Sim! Ela pode voltar depois do sexto mês, quando acaba a ovulação);
  • Pés inchados (e às vezes até mudam de tamanho e ficar assim mesmo depois da visita passar).

Quanto tempo dura a mãe do corpo?

Imagem de mulher gravida e depois com seu bebê no colo

O tempo varia bastante de mãe para mãe, mas de forma geral, o puerpério dura em média 60 dias e nele que o útero vai aos poucos se contraindo e voltando ao seu tamanho original, então é comum ter a presença da mãe do corpo nessa época.

Mesmo assim, algumas mulheres dizem sentir essa presença um ano depois, muitas vezes isso acontece por causa do útero e das trompas que ficam um pouco maiores depois de uma gestão, ou até mesmo por ter mais espaço no abdômen do que antes, causando esse desconforto.

É legal comentar também que os sangramentos até as primeiras semanas depois do parto são normais, porque a cicatrização placentária tem um constante fluxo de líquidos e acabam sendo expelidos. Normalmente eles são bem avermelhados no começo, mas fica tranquila que eles vão clarear!

O que é bom pra mãe do corpo?

Imagem de uma barriga de mulher gravida próxima fraldas descartáveis

Tem três formas de acalmar a mãe do corpo, todas elas eram e ainda são usadas pelas parteiras, afinal toda mãe merece certo cuidado e atenção, certo? Um jeito é, logo depois do parto, pegar a placenta que saiu do seu corpo, colocar sobre a sua barriga e massagear.

Nesse ritual tem uma segunda coisa que pode ajudar, que é dizer algumas palavras de conforto para a mãe de dentro, ajudando o seu pós-parto a ser mais tranquilo. Por fim, algumas tribos indígenas ainda fazem uso de uma faixa de pano comprimindo o ventre, na intenção de deixar a mãe do corpo imobilizada e não dar espaço para ela te perturbar!

Agora, diz pra gente, conseguiu entender melhor sobre o assunto? Se ficou alguma dúvida, manda mensagem pra gente que a gente ajuda, tá bom? O que importa aqui no Blog da Dipano é trazer todas as informações mais importantes para as mamães e papais terem muito mais paz e tranquilidade durante esse momento de gravidez e criação dos pequenos. Por isso, vem dar uma conferida também no nosso conteúdo completo com o guia da introdução alimentar, como e quando fazer!

*As imagens contidas neste post são para ilustração. As mães que aparecem na publicação não têm relação com o tema.

Dermatite de fralda descartável: o que é? Como tratar?

Imagem de dermatite na pele do bebê

A dermatite de fralda descartável é uma inflamação na pele do bebê que decorre em consequência do contato direto com os produtos químicos. A enfermidade é mais comum do que se pensa, especialmente para menor de dois anos de idade – idade que se usa fralda com mais frequência.

Essa inflamação gera sensações de queimação e vermelhidão nas áreas atingidas. Por isso, deseja descobrir mais sobre a doença e como evitá-la? Confira!

O que causa a dermatite de fralda?

As principais causas de dermatite de fralda são os fatores que provocam a irritação da pele, que nesse caso é o contato com as substâncias tóxicas presentes nas fraldas descartáveis. Em estudos, forem identificados mais de 60 tipos de toxinas na composição dessas fraldas, sendo os principais causadores da doença.

Vale citar que, dentre essas substâncias existem algumas pesticidas – que são proibidas no país há mais de quinze anos – como o quintozeno, lindano, álcool benzílico, butilfenilo e hexaclorobenzeno. Esses produtos químicos entram em contato direto com a pele do bebê enquanto usa esse tipo de fralda, provocando ulcerações, ardor intenso e coceiras, ocasionando um grande incômodo para o bebê.

Como identificar se o bebê está com alergia de fraldas?

Não é muito difícil identificar os sintomas da alergia a fralda. A região irritada começa a apresentar vermelhidão, descamação, contendo pequenas pápulas, a pele também fica mais quente e bastante irritada. Provavelmente seu bebê ficará inquieto, irritado durante o dia e com dificuldades para dormir à noite.

O formato da inflamação pode ser diferenciado como descamativo, espesso, ulcerativo ou até mesmo brilhante. Vale ressaltar que essas reações dependem do nível inflamatório em que a dermatite está, visto que, podem se apresentar leves, moderadas ou graves.

Para conseguir identificar a doença de fralda, indicamos que seja feito uma análise nas regiões irritadas nas partes convexas do bebê, área onde acontece o principal contato.

Qual a diferença de assadura e dermatite?

Uma dúvida frequente entre as mamães é saber identificar a diferença entre a assadura e a dermatite. De modo geral, a dermatite de fralda é causada pelo contato com substâncias químicas da fralda descartável, onde a pele do bebê fica em contato por um tempo prologado, causando vermelhidão ou lesões mais graves.

a assadura é desenvolvida em decorrência pela umidade, suor e em contato por tempo prolongado com o xixi e cocô, causando vermelhidão e queimação nas regiões de contato com as eliminações, principalmente do cocô.

Agora que você conhece a principal diferença entre assadura e dermatite, está ainda mais preparada para tomar as medidas corretas e, assim, evitar que o seu bebê tenha problemas na pele causadas por contato com substâncias externas. Continue a leitura e saiba como prevenir da forma correta.

Como prevenir dermatite da fralda?

Uma das melhores ações preventivas de dermatite de contato é utilizando as fraldas de pano, as quais são mais saudáveis, pois não possuem produtos químicos que possam irritar a pele do seu bebê, assim como acontece com as descartáveis.

As fraldas ecológicas são desenvolvidas com tecidos especiais, responsáveis por prevenir as dermatites em até 70%, se tornando a melhor alternativa para evitar a doença.

Aliás, as fraldas ecológicas são produzidas com tecidos tecnológicos que, mesmo após estarem molhadas, afastam a umidade da pele do bebê, dando conforto e evitando a irritabilidade.

O que piora a dermatite de fralda descartável?

A falta de tratamento da doença pode causar um agravamento nos sintomas, ocasionando em uma dermatite nível grave. Na maior parte dos casos, as reações, quando tratadas, desaparecem naturalmente após 2 a 4 semanas. A melhor forma de garantir um alívio do desconforto do bebê, é evitando o surgimento de novas feridas. Para isso, é importante substituir as fraldas descartáveis por variações mais saudáveis.

Não indicamos também o uso dos lenços umedecidos, que geralmente possuem substâncias químicas que agravam o estado da pele já irritada. Uma boa opção são os biolenços, que além de serem bem suaves ao toque, terão apenas água, podendo possuir substâncias químicas que causem um agravo da ferida, aumentando o tempo de sintomas e dificultando o processo de cicatrização.

Agora que você já conhece mais sobre a doença, causas e como prevenir a dermatite de fralda, não se esqueça de tomar os devidos cuidados para diminuir as chances do aparecimento dessas reações desagradáveis. Aproveite e conheça mais sobre as fraldas ecológicas, o que são e como elas podem te ajudar nessa missão de cuidado e proteção com a pele do seu bebê, e claro, com o meio ambiente.

Continue navegando pelo nosso blog e garanta uma maternidade mais sustentável, segura e com muito amor! Conte aqui para a gente o que achou do nosso post e não se esqueça de compartilhá-lo em suas redes sociais com outros papais e mamães que procuram o melhor para seus bebês. Te espero no próximo artigo!

15 ideias de presente para bebês de 1 ano: confira!

Bebê brincando com tinta

Quando as festinhas das crianças da família começam a surgir durante o ano, as dúvidas também aparecem. Com isso, fica aquele grande ponto de interrogação na cabeça: o que dar de presente para bebês de 1 ano?

Isso é compreensível, afinal, são tantas opções, que se torna muito normal ter dúvida do que comprar. Mas, aqui a gente preparou um conteúdo bem bacana com várias ideias de brinquedos e outros itens para os pequeninos, confira:

15 ideias de presentes para criança de 1 ano

Antes de ir direto para a lista, é importante trazer algumas informações importante para te ajudar nessa escolha, certo? Fique sempre de olho se os papais e mamães da criança fizeram alguma listinha ou pediram alguma coisa em específico, porque às vezes a sua resposta pode estar lá e vai ser bem mais assertivo.

Caso não tenha, é comum que os presentes para crianças dessa idade sejam itens que ajudam no estímulo e diversão, ou então alguns itens que vão ajudar os papais durante esse período. Vamos nessa!

1. Brinquedos musicais

Bem, a música sempre foi um instrumento de ensino e estímulo para os pequenos, desde as canções de ninar até as mais animadas. Com isso, os brinquedos musicais também são uma ótima forma de divertir as crianças e ainda estimular coordenação motora, até mesmo o cognitivo dos pequeninos. Existem diversas opções no mercado, desde teclados, xilofone, microfone e até livrinhos sonoros.

2. Kit de fraldas ecológicas

As fraldas acompanham as crianças e os papais por um bom tempo e, por isso, essa é uma excelente opção, principalmente se os papais da criança que está fazendo aniversário são do tipo ecológicos. Entre as opções de kits, existem opções para uso na piscina, uso noturno, entre outros.

3. Livros infantis

Ajudando tanto no desenvolvimento cognitivo quanto na imaginação dos pequenos, os livros infantis são uma ótima opção de presente para bebês de 1 ano. Existem as opções feitas especialmente para essa idade e fazer o dia dos pequenos.

4. Sacos impermeáveis para fralda

Às vezes, trocar a fralda pode ser um grande problema quando estamos fora de casa, certo? Nem sempre temos onde deixar a fralda de pano suja, por isso os sacos impermeáveis são ótimos presentes. Eles conseguem impedir o mau cheiro e a umidade de se espalhar e ainda evitam sujeiras indesejadas, além de serem feitos em estampas super divertidos.

5. Tapete de atividades

Existem diversos tipos de tapetes de atividade, desde as opções mais simples que servem apenas para forrar o chão e manter o bebê seguro, quanto as opções mais detalhadas e até mesmo aqueles com brinquedos pendurados, pianos e efeitos sonoros. Esses são ótimos presentes para oferecer um ambiente seguro e cheio de estímulos saudáveis para o pequeno presenteado!

6. Trocadores portáteis

Além de nem sempre ter onde deixar uma fralda suja, muitos papais sofrem sem ter um lugar adequado para trocar os filhos. Por isso, um ótimo presente para pais e mães de bebê é um trocador portátil, perfeito para levar dentro da bolsa.

7. Blocos de montar

Outros ótimos brinquedos para estimular a coordenação motora e a criatividade das crianças são aqueles de montar e por isso se tornam ótimos presentes para criancinhas de 1 ano. Mesmo assim, confira a idade recomendada para cada um que você encontrar, porque o tamanho das peças precisa ser grande o suficiente, evitando que o pequeno tente pôr na boca.

8. Calça Maxi para bebê de 6 meses até 3 anos

Coloridas e divertidas, são confeccionadas com tecido macio e com formato anatômico no bumbum para proporcionar mais conforto aos bebês que usam fraldas de pano. O melhor de tudo: a mesma calça servirá a partir de 6 meses, até 3 anos, basta ir desdobrando na cintura e na barra da calça, conforme o bebê vai crescendo.

9. Carrinho de puxar

Sem dúvida, é possível presentear os pequeninos com carrinho de puxar, pois são ótimos brinquedos para ajudar o bebê a desenvolver sua coordenação motora. Sem contar que as opções coloridas e cheias de formas são ótimos estímulos para as crianças dessa idade.

10. Roupinhas infantis

Presentear crianças com roupas infantis super lindas e coloridas também são ótimas opções. Você pode inclusive explorar desde peças de inverno a verão, e tomar como base a época do ano que vai ser o aniversário.

11. Brinquedos de encaixar

Os brinquedos de encaixar também são ótimos presentes para as crianças de 1 ano, pois ajudam a estimular a coordenação motora e o cognitivo. Dependendo do tamanho das peças, elas podem inclusive ajudar no estímulo da coordenação para futuramente o pequeno escrever, desenhar e pintar.

Confira também: Fraldas ecológicas, o que são? Como funcionam? Saiba mais!

12. Casinhas coloridas

As casinhas, sejam elas de diversos estilos e modelos, são ótimas para meninos e meninas. Por ter as formas e cores divertidas em janelas, portas e móveis, a coordenação motora para abrir, fechar, mover e tudo mais é muito bem estimulada e pode gerar brincadeiras incríveis.

13. Brinquedos que aguçam a imaginação

Se você quer um presente bem bacana e que ajude no estímulo da imaginação, os brinquedos como blocos de montar, carrinhos, bonecas, entre outros, são ótimas opções. Existem diversos modelos online para comprar e presente as crianças de um ano.

14. Quebra-cabeças pequenos

Os quebra-cabeças pequenos, de 4 à 6 peças são ótimos para começar a estimular as crianças e por isso são ótimos presentes para pequeninos de 1 ano. São diversos modelos, super coloridos e divertidos de explorar que ajudam muito no desenvolvimento cognitivo da criança.

15. Barracas infantis

Por fim, uma ótima opção de presente para a criança brincar e se divertir como nunca, são as barracas infantis. Além de ter modelos com bolinhas, os espaços coloridos são ótimos para estimular os pequenos.

Enfim, o que achou das ideias? Encontrou as melhores ideias de presente para criancinhas de 1 ano? Esperamos que o pequeno presenteado adore o que você comprar para ele e que a gente tenha feito parte dessa escolha. Aproveite também para conferir o nosso conteúdo sobre quantas fraldas o bebê usa: descartáveis VS ecológicas. Até a próxima!

Cocô de bebê: entenda alterações em cor

Se você, papai ou mamãe, tem um recém-nascido em seus braços, saiba que observar possíveis alterações nas suas fezes é fundamental para entender sobre a saúde dele. Essas características são muito valiosas e geralmente, requeridas pelos pediatras durante a avaliação dos exames.

Os principais aspectos a serem observados, principalmente até por volta dos seis meses de vida da criança, estão relacionados à textura, coloração, odor e frequência com que evacua. Todos estes pontos costumam influenciar também em sintomas como febre, cólicas, vômitos e até mesmo aquela irritabilidade que muitos pais acabam negligenciando por não entenderem ao certo o que está acontecendo.

Por isso, hoje queremos esclarecer sobre o porquê da importância desta observação e o que essas alterações podem significar. Acompanhe conosco!

Por que observar as fezes do bebê?

Por mais comum que seja, o cocô do bebê diz muito sobre como anda a sua saúde, e isso é uma informação super preciosa para os pais. De acordo com a Organização Mundial de saúde (OMS), estar saudável significa estar completo em aspectos mentais, físicos e sociais. Mas no caso de um bebê, que ainda não pode falar, como é possível saber se ele está bem?

A resposta está exatamente nessa observação que a gente citou das fezes da criança. Os médicos pediatras membros da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) ressaltam que fezes esverdeadas, com textura grudenta, difíceis de serem limpas, amareladas ou líquidas são aquele sinalzinho de alerta que os pais precisam para iniciarem uma investigação médica.

Por isso é tão importante olhar as eliminações do seu bebê. Alguns pais que usam fraldas descartáveis, mal interagem com o cocô, rapidamente embrulhando-o na própria fralda. Já com as fraldas de pano isso é impossível, porque necessitam ser manipuladas. Aqui destacamos a importância de tecidos claros, para que qualquer alteração, tanto do xixi como do cocô, não passe desapercebida.

Quais os problemas mais comuns?

Um dos problemas mais comuns relacionados às alterações nas fezes da criança é a presença de sangue, que pode estar relacionada a uma alergia à proteína do leite. Normalmente, ocorre quando a mãe que amamenta consome derivados ou o próprio leite de vaca, ou quando o bebê mesmo já consome leite de vaca ou derivados.

Vacinas também podem ocasionar este sintoma, além de fissuras no ânus, presença de vermes, hemorroidas, infecções no intestino, entre outros pontos importantes de serem investigados.

Além do sangue, as fezes também podem apresentar muco ou catarro, indicando uma possível inflamação intestinal. Enfim, quando o intestino está doente, a dica é observar os sinais indicativos nas fezes, principalmente relacionados à sua cor, tudo bem?

Coloração das fezes: amarelo

A cor das fezes, definitivamente, fala! Como todos nós sabemos os alimentos seguem um trâmite até chegarem no intestino, e nos bebês alimentados através da livre demanda, é normal que haja coloração mais puxada para o amarelo.

Com o passar do tempo, o consumo do leite da vaca acaba alterando a cor das fezes, fazendo com que elas fiquem um pouquinho mais escuras, quase chegando no marrom. Mas, atenção: o leite de vaca não deve ser consumido por bebês menores de 1 ano de idade. Também não devem ser oferecidos os seus derivados, como queijos e iogurtes.

Bebês que consomem fórmula

As papinhas e as fórmulas podem deixar o cocô diferente, mais pastosos ou consistentes, além de alterarem também o cheiro, que pode ficar mais intenso como as fezes de um adulto mesmo.

É normal também que diminua a frequência de cocôs. Não há porque se preocupar!

Cocô esbranquiçado ou vermelho

Aqui começa o nosso sinalzinho de alerta! Cocô com cor branca ou vermelha indicam, geralmente, algum problema no fígado e que está influenciando o processo digestivo que pode ser a falta da bile, que é responsável por ajudar na digestão de gorduras.

No caso do vermelho, podemos pensar em sangramentos nos locais por onde as fezes estão passando e é essencial relatar essa mudança de cor ao pediatra. Essa cor também pode pode significar uma alta ingestão de beterraba, amora ou feijão.

Fezes verdes

A cor esverdeada no cocô é muito comum ao longo da primeira semana de vida do pequeno, principalmente se ele está sendo nutrido exclusivamente pelo leite do peito. No entanto, continue observando porque ele pode indicar a presença de alguma infecção, intolerância e até uso de remédios por parte da mamãe.

E aqui vai um alerta importante: se você notar que existe um aspecto de espuma nas fezes, pode ser um sinal de que o seu filho esteja consumindo apenas o início da mamada, que contém basicamente água. Nesse caso, evite trocar a mama para que ele possa consumir também a gordura e as calorias do leite.

Marrom escuro

Quando o cocô sai nessa cor marrom escura, o ideal é verificar se há feridas no peito da mãe que podem estar fazendo com que o bebê consuma sangue junto com o leite. Uma outra causa que pode levar a essa coloração é a suplementação com ferro, que também escurece o cocô.

Se for o caso de consumo de suplementos, tudo certo. Não é preciso se preocupar. Este problema deve se resolver assim que terminar o uso de medicamentos. Mas caso não houver uma causa em específico, recomendamos procurar a ajuda de um pediatra para entender o problema.

Frequência das fezes: qual o normal?

Conforme citamos anteriormente, é bem normal que os bebês façam cocô após as mamadas, principalmente se eles estiverem sendo nutridos exclusivamente pelo leite materno. Mas caso haja uma mudança repentina neste processo, fique atento!

Dia 1 e 2: mecônio bem pegajoso

Dia 3: mecônio menos pegajoso

Dia 4: amarelo escuro

Dia 5 a 7: amarelo mostarda

Em alguns casos, a criança pode apresentar prisão de ventre, que pode resultar de uma baixa tolerância ao leite, desidratação e até mesmo pelo consumo de alimentos que ainda não são próprios para ele e que acabam dificultando a sua digestão.

Ao contrário disso, também pode ocorrer a diarreia, que é o cocô em um formato mais líquido que o comum, podendo ser resultante de alergias ao leite e outros alimentos ou até infecção viral.

Então, como você pode notar, uma das melhores maneiras de entender como está a saúde do bebê é observando as características do seu cocô, que indicará colorações, texturas e frequências que são parâmetros fundamentais para o seu bem-estar.

Se você preferir, indicamos que você confira também esse post que fizemos explicando as características do cocô do bebê desde o seu nascimento. Confira!

Chegada de um bebê: 10 dicas para se preparar

Imagem de bebê deitado de bruços na cama

A gente aposta que se você está aqui é porque não vê a hora da chegada do seu bebê. Acertamos? Ah, a gente sabe como esse momento é tão especial: nós imaginamos como vai ser quando ele estiver no nosso colo, como serão os primeiros dias em casa… Logo bate aquele nervosismo e insegurança, medos, dúvidas…

É, a chegada do bebê é um marco na família e tem o poder de mudar tudo: as relações, a rotina, os papéis (quem antes era um casal, agora se tornam pais) e tudo isso envolve uma mistura de sentimentos, fazendo desse momento algo intenso, mas ao mesmo tempo delicado.

Mas fique tranquilo, nós separamos neste post algumas dicas práticas para te ajudar a passar por esse período de adaptação, diminuir os obstáculos e a ansiedade e enfrentar juntos esse desafio, com muita atenção e carinho ao bebê.

Chegada do bebê: prepare-se com essas dicas

Imagem de guarda-roupa de bebê com fraldas de pano

Pensar no enxoval, na decoração do quarto, nas roupinhas, nas fraldas, nos produtos de farmácia… Ufa! Parece que são tantos detalhes que só de pensar, causa uma ansiedade.

Uma dica bem legal é organizar uma planilha com tudo o que você e a criança precisam em cada fase. Nós fizemos um post que traz uma planilha de gastos mensais com o bebê, vale a pena conferir, é uma boa base para se preparar para a chegada do bebê. Confira abaixo mais dicas práticas. Vamos lá?

Organize a casa e a mantenha bem limpa

Imagem de um varal portátil com fraldas de pano

É importante deixar a casa organizada e deixar cada detalhe ajeitadinho para receber o seu bebê com todo cuidado do mundo. A gente sabe que amor e carinho não vão faltar por aí, mas, para deixar tudo mais lindo, alguns cuidados são importantes, principalmente nos primeiros dias.

Para preparar a chegada do bebê, mantenha a casa limpa e cuide para que os espaços onde seu bebê ficará sejam bem ventilados, principalmente em dias muito quentes. É uma boa ficar de olho também se há mofos ou umidade nesses locais , porque esse micro-organismos podem causar algum mal para a saúde respiratória da criança.

Outra dica é evitar deixar objetos que acumulam poeira no quarto. Por mais que sejam lindos, os bichinhos de pelúcia e almofadas não precisam ficar dentro do berço, tá bem? Quanto menos poeira é melhor! O mesmo vale para cortinas e aqueles protetores de berço, lembre-se de lavá-los regularmente.

Então não tem erro, é só deixar tudo bem limpinho para receber seu amor com saúde e bem-estar em todos os momentos. Isso com certeza vai te ajudar a segurar um pouco mais a ansiedade e o medo, não é?

Considere o conforto e a praticidade

Imagem de barriga de grávida

Sabe outra coisa que vocês podem fazer para deixar tudo mais fácil para a chegada do bebê? Escolher produtos que você realmente vai precisar e usar. A gente sabe como é gostoso comprar tudo para os bebês, mas é melhor ir comprando aos poucos conforme for precisando, do que encher a casa de coisas que vocês não vão usar.

Pense na funcionalidade das coisas e em como tornar o seu dia a dia mais prático. Um berço muito alto, por exemplo, pode mais atrapalhar do que ajudar. Uma cômoda com gavetas grandes e um trocador ajuda e muito na hora de achar tudo o que você precisa quando for trocar o bebê. Use os objetos a seu favor e você vai ver como fica mais fácil!

Organize a cômoda do bebê

Uma ótima forma de passar o tempo e já ir imaginando como vai ser quando o seu bebê chegar é organizando as roupinhas e acessórios na cômoda. É um passa tempo e tanto!

Essa tarefa é importante porque vai te ajudar a encontrar tudo muito mais fácil quando seu bebê chegar, afinal você já vai saber onde está cada coisa e vai perder tempo apenas com o que importa: dando muito amor ao seu filho.

Uma dica legal é deixar as primeiras gavetas com o que você usa no dia a dia, como fraldas, por exemplo, para ficarem sempre fáceis de acessar e não ter que ficar abaixando lá na última gaveta toda vez. Deixe as fraldas já montadas, ajustando no tamanho P e com um absorvente apenas, dentro do bolso da capa. Lembra da nossa dica sobre praticidade e conforto? vale muito aqui.

Bom… nós já limpamos a casa, escolhemos tudo o que vai deixar nosso dia a dia mais prático e organizamos todas as roupinhas e pertences do bebê. Vamos à próxima dica para se preparar para a chegada do bebê.

Tire suas dúvidas ao máximo

Quanto mais próxima a chegada do bebê, mais dúvidas vão batendo, afinal, é uma mistura de sentimentos que vai tomando conta da gente, não é?

Por isso é muito importante não ficar com nenhuma dúvida, assim você se prepara melhor e tira um pouco a ansiedade e o medo do peito. Converse bastante com seu médico de confiança, com o pediatra, psicóloga… é muito bom desabafar nossos medos com pessoas experientes e que, com certeza, conhecem o assunto como ninguém.

Reserve um espaço na cozinha para o bebê

Essa dica parece boba, mas ajuda muito a encontrar os utensílios do bebê quando sabemos que existe um lugar separadinho para eles. Vale a pena deixar uma parte do armário só para as coisinhas do bebê, tenha certeza que vai te ajudar muito a se localizar e até para pedir ajuda quando precisar.

Até os 6 meses seu bebê vai se alimentar apenas do leite materno, é o que recomenda a OMS. Após esse período você já pode começar a introdução alimentar, uma nova fase de aprendizado e de relação afetiva com seu bebê. Nós preparamos um post com um Guia Completo da Introdução Alimentar, você pode acessar para aprender um pouquinho mais sobre o assunto. Mas calma, pense uma coisa de cada vez, ein!

Adapte os ambientes

Como é gostoso pensar nas fases que vamos viver com nossos filhos, não é? A primeira palavra, o primeiro engatinhar, o primeiro passo… E para cada uma delas teremos nossas alegrias e preocupações.

Sabe o que vai te ajudar a se tranquilizar e preparar a casa? Vá com calma e, com o passar do tempo, você pode ir adaptando seu espaço conforme as necessidades forem surgindo. Quando seu bebê começar engatinhar, por exemplo, coloque protetor de tomadas para evitar acidentes, afinal, seu bebê estará com sede de conhecer novas texturas e vai querer explorar cada pedacinho da casa.

O mesmo vale para os móveis. Se os móveis não têm quina arredondada é só colocar alguma proteção nas quinas, para evitar que a criança bata a testinha. São pequenas mudanças que fazem a diferença e deixam sua casa mais preparada para a chegada do bebê.

Converse sempre, sobre tudo

Como falamos no início do post a chegada do bebê é um ponto de mudança na vida do casal, onde a rotina e o dia a dia passam a ser totalmente focados na criança. Nós sabemos que é uma fase de total adaptação para as mamães e papais.

Então nunca esqueça a importância do diálogo! Dividam não só as tarefas, mas as inseguranças, os medos, expectativas e sejam apoio um para o outro. Você vai ver que tudo fica mais leve e mais doce quando temos um espaço sadio para conversar.

Conte com alguém para te ajudar

Principalmente nos primeiros meses a mãe vai ficar praticamente em função do bebê, então uma ajuda sempre será bem-vinda, não é mesmo? Você pode dividir tarefas entre o casal, mas é uma ótima chance para chamar outras pessoas próximas e que você confia para dar aquela força para vocês descansarem também. Você vai agradecer muito a essa pessoa depois!

Não se compare e nem se cobre

É muito comum com a chegada do bebê a gente ficar com os sentimentos a flor da pele e, muitas vezes, se entristecer quando algo não sai como planejado. Ou às vezes bate aquela sensação de que “nossa, aquela pessoa é melhor mãe ou pai do que eu, não sei fazer nada”.

Calma! Cada vivência de mamães e papais é única, então não é justo com você e com a sua história que você se sinta inferior a alguém. Não tenha medo de errar, afinal é algo novo na vida de vocês, mas também não tenha medo de pedir ajuda. Tá tudo bem não ser super heroínas e nem super heróis o tempo inteiro.

Evite idealizar pensamentos e viva um dia após o outro, porque às vezes a expectativa não se torna realidade, planos e realidade nem sempre combinam. Só vocês saberão o que é melhor para vocês e para a criança. Filtre bem os conselhos dos “amigos”.

Ame sem limites

Por fim, nossa última dica para se preparar para a chegada do bebê é amar sem limites! Receber uma criança em casa é um dos momentos mais prazerosos que teremos a oportunidade de viver na vida. Então demonstre amor, paciência e tolerância em cada ato. Aproveite essa oportunidade e seja muito feliz!

Esperamos que nossas dicas tenham te ajudado a se organizar e se preparar bem para a chegada do seu bebê. Nós ficamos aqui na torcida para que corra tudo bem e que vocês se sintam realizados em cada etapa desse momento tão especial.

Continue acompanhando nosso blog para ver essas e outras dicas sobre maternidade. Compartilhe com quem você acha que precisa ler também. Até o próximo post!

Planilha de gastos mensais com bebê: saiba como se organizar

Imagem de bebê usando fralda de pano

Se você está criando um planejamento para se organizar financeiramente nas despesas com o bebê, está no lugar certo! Neste post nós vamos te mostrar como montar uma planilha de gastos mensais e, de quebra, apresentar as principais despesas que podem surgir, tudo isso para você se programar.

Afinal, nós sabemos que fazer um planejamento familiar nem sempre é muito fácil, porque muitas incertezas aparecem quando estamos esperando a chegada de um bebê. Por isso, ter o controle é importante, colocando no lápis cada detalhe desde o início da gestação, do nascimento e de cada etapa da vida dos nossos filhos. Mas olhe, não se preocupe viu? Nós estamos aqui para te ajudar. Vamos lá?

Como montar uma planilha de gastos mensais com o bebê?

Estudos apontam que o orçamento ideal para um filho não pode ultrapassar 30% da renda líquida dos pais, isso porque pode comprometer os orçamentos para as outras despesas indispensáveis.

Nossa dica para criar uma planilha é colocar no papel os gastos essenciais de cada momento, que será vivido naquele mês. É como se você separasse suas despesas por “seções”, sabe? Despesas com saúde, despesas com roupas, despesas com farmácia, despesas com móveis são alguns exemplos.

Por fim, veja o preço médio unitário desses itens (considerados no mês de abril de 2022), para saber qual o valor total gasto no mês. Confira abaixo as sugestões de planilhas, com itens que as novas mamães geralmente providenciam. Vale ressaltar que os itens são sugestões e podem ser alterados de acordo com a necessidade e condição.

Planilha geral de gastos antes do nascimento do bebê

Alguns itens você precisará comprar uma única vez (como o seu enxoval de Fraldas Dipano, por exemplo) e os seus gastos não serão contabilizados no mês seguinte, porém são extremamente importantes para criar um primeiro orçamento para calcular o que será gasto com a chegada do seu bebê.

As quantidades e valores não são verdadeiros, tá bem? Usamos apenas para te mostrar como a planilha funciona na prática. Basicamente você precisará multiplicar o valor unitário de cada item pela quantidade prevista de uso no mês e pronto: terá o valor previsto no mês! Veja a seguir.

Gastos com a gestação

Confira abaixo os gastos padrões, que são pré-definidos de acordo com as experiências das mamães durante a gestação. Vale ressaltar que os gastos podem ser alterados de acordo com a necessidade ou condição.

Gastos com móveis do quarto do bebê e itens de passeio

Agora, você encontra na planilha de gastos com móveis do quarto do bebê, uma estimativa do que você precisará investir. Assim como o tópico anterior, essa é uma sugestão que pode ser alterada de acordo com a necessidade e condição.

Enxoval do bebê e da mamãe

Chegou uma das melhores partes: o enxoval do bebê e da mamãe. Abaixo, sugerimos os itens mais utilizados nesse momento, que também podem ser ajustados de acordo com a necessidade.

Gastos com roupas para o bebê

As roupinhas do bebê também são parte fundamental do planejamento de gastos. Segue abaixo uma sugestão com o que os papais precisam se atentar na hora de montar a bolsa maternidade.

Planilha mensal de gastos com o bebê até a fase da escola

Ufa, agora que já colocamos no lápis os principais gastos com o bebê antes do nascimento, é hora de pensar em cada detalhe que não pode faltar para quando ele chegar, afinal tudo tem que estar bem preparadinho para receber o seu amor, não é?

Bom, agora nós selecionamos os principais gastos que você vai ter com o bebê mês a mês, até completar 3 anos.

Olha, aqui é bastante importante você entender que, com o passar dos anos, mais itens vão entrar na lista, afinal o seu filho está crescendo as necessidades vão mudando. Então sinta-se livre para retirar e acrescentar o quanto quiser. Bom, na nossa simulação, você pode usar uma planilha como a que segue abaixo:

Gastos com Farmácia/Higiene

Em relação aos gastos com farmácia e itens de higiene, trouxemos algumas sugestões de produtos que você pode providenciar para esse momento.

Gastos com alimentação

A alimentação é um ponto muito importante. Logo abaixo, segue uma sugestão com o que as mamães mais providenciam durante o planejamento dos gastos. Os itens podem ser alterados em caso de necessidade.

Gastos com saúde e segurança

Investir em saúde e segurança é fundamental para a família toda ter todo o aparato necessário em caso de emergências. Vale a pena conferir.

Gastos com escola

Quando a criança já possui idade para ir à escolinha, esse se torna um aspecto importante para os pais colocarem também na ponta do lápis.

Gastos com passeios e lazer

Quem não gosta de passear, não é mesmo? Confira abaixo uma sugestão de gastos com passeios e lazer.

Gostou das planilhas? Então lembre-se sempre, mamãe e papai: com o passar dos anos itens devem sair da planilha para outros entrarem, só assim você se organizará certinho.

Existem dados do Instituto Nacional de Vendas e Trade Marketing (Invent) traz gastos básicos como educação, alimentação, lazer e saúde e servem de base para fazer um bom planejamento de contas. Confira!

  • Gestação;
  • Mobília;
  • Vestuário da mamãe e do bebê;
  • Alimentação;
  • Farmácia e Higiene;
  • Babá;
  • Berçário, Ensino Fundamental e Médio, Universidade;
  • Cursos;
  • Alimentação escolar;
  • Materiais didáticos;
  • Mesada;
  • Transporte;
  • Cinemas, teatros e shows;
  • Festas de aniversário;
  • Viagens, férias e passeios;
  • Brinquedos, informática, telefonia;
  • Roupas e calçados.

Gastos com filho: primeira fase

Quais são os principais custos que temos com um filho nessa fase? Bom, com o recém-nascido os custos serão basicamente com roupinhas, calçados, itens de higiene e farmácia, com gastos essenciais com remédios, vacinas, médicos, cremes, carrinho, cadeirinha, por exemplo.

Existem outros itens que não são obrigatórios, mas que facilitam o dia a dia como forrinhos biodegradáveisou forrinhos reutilizáveis para quem usa fraldas de pano em tempo integral, mama pads e lencinhos biodegradáveis. Conforme a criança for crescendo, acrescente os valores de escolinhas.

Dicas para economizar nos gastos

Ter filhos é a realização de um sonho para muitas famílias e nós sabemos que as mamães e papais não medem esforços para oferecer tudo o que o seu pequeno ou pequena precisa para viver uma vida feliz e cheia de amor.

Embora existam despesas que vão estar sempre presentes no dia a dia, há dicas simples que vão te ajudar a economizar e farão uma diferença positiva no orçamento no final do mês. Anote tudo para colocar em prática.

Use fraldas ecológicas de pano

As fraldas ecológicas chegaram com tudo e são uma forma econômica e sustentável de proteger o seu bebê no dia a dia. Você pode ter um enxoval completo de Fraldas Dipano, ou pelo menos algumas unidades para intercalar com descartáveis.

As Fraldas Dipano são de tamanho único e podem ser usadas desde o nascimento até o desfralde do bebê. Estas mesmas fraldas podem ser usados em piscinas, além, é claro, das mais variadas estampas que você pode escolher. Nós fizemos um post com um tutorial de como usar fraldas ecológicas, não deixe de conhecer.

Compre somente o básico para o começo

A gente sabe que a ansiedade bate e nós queremos comprar tudo o que vemos pela frente mesmo antes do bebê nascer, mas calma. Foque em comprar itens básicos e necessários para o nascimento do bebê.

Não precisa comprar chupetas e mamadeiras durante a gestação, por exemplo, porque é importante que o bebê se alimente apenas leite materno até os 6 meses de idade. O mesmo vale para o enxoval: evite uma decoração exagerada com itens que o bebê não precisa.

Faça um chá de bebê

É uma ótima oportunidade para celebrar a vida do bebê que está por vir, confraternizar com amigos e parentes e, ao mesmo tempo, uma boa ocasião para receber presentes. Temos certeza que todos que já amam a criança ficarão felizes em dar uma lembrancinha que pode ser muito útil.

E aí, gostou das nossas dicas para organizar os gastos com seu filho? Esperamos que sim e que nossa planilha te ajude a planejar as despesas e aproveitar o melhor de cada momento com seus pequenos. Continue acompanhando nosso blog para mais dicas, tá bem? Até o nosso próximo post!

Veja o tempo de antecedência para lavar as roupas do bebê!

Imagem de roupinhas de bebê na gaveta

A chegada do bebê é motivo de muita alegria para os papais e mamães. Porém, para que eles possam se desenvolver bem e saudáveis, as mamães e os papais têm que manter alguns cuidados essenciais, inclusive com a pele desse pacotinho de felicidade.

Por estarem em uma fase de desenvolvimento, os recém-nascidos possuem uma pele muito sensível e delicada, que precisa ser cuidada com muita atenção. Parte desse zelo está nas roupas e demais acessórios de tecido que entrarão em contato com a pele deles. Isso inclui não só as roupinhas, mas os cobertores, meias, sapatinhos, fraldas de tecido, toucas e etc.

Por esse motivo, a lavagem desses itens deve acontecer antes mesmo do nascimento, tudo isso para eliminar qualquer possível ameaça para a pele dos pequenos, como ácaros, bactérias e fungos. O consenso nessa área é de que as roupas do bebê devem ser limpas geralmente a partir da 30ª semana ou do sétimo mês de gestação. Isso é indicado por conta da possibilidade de nascimentos prematuros, então prevenir é sempre a melhor alternativa nesses casos.

Como higienizar as roupas do bebê

Algo muito importante que devemos considerar nessa etapa de lavagem é a organização. Ela serve para facilitar a sua vida na hora de lavar, passar (caso seja necessário) e guardar. É importante lembrar que a higienização das roupinhas e acessórios não deve ser feita antes do período descrito, isso para evitar que as roupas e outros itens que você higienizou não acumulem poeira e outros detritos.

Se você é a futura mamãe, caso seja possível, procure a ajuda de alguém de confiança e aproveite para criar memórias, registrando esse momento tão especial.

Então, siga a ordem mais adequada para que seja feita a limpeza e higienização de todo o vestuário infantil:

Dê prioridade para aquilo que é de maior tamanho, como cobertores, mantas, capas de trocadores, toalhas de banho e, caso você tenha adquirido capas de almofadas, também inseri-las na lavagem. Em seguida, opte por separar e identificar para higienização, o enxoval para recém-nascido.

Dica importante! Durante essa tarefa, separe o que você deseja colocar na sua mala de maternidade. Faça uma lista de tudo que você irá precisar na ida ao hospital. Planejar seus passos com antecedência te deixa melhor preparada e, ainda, livre para focar no que é realmente importante.

Quais produtos usar na hora da lavagem do enxoval

Nesse ponto, devemos nos lembrar que a pele dos bebês é diferente da nossa, dessa forma, não possuem a mesma camada de proteção que os adultos. Por esse motivo, sempre devemos cuidar para que eles estejam seguros e bem cuidados também nessa área.

Portanto, na hora de lavar, leia os rótulos dos produtos que você escolher. Dê preferência às opções elaboradas especificamente para essa finalidade, existe uma grande variedade de marcas para essa função. Caso prefira, há também como lavar as roupas do seu pequeno ou pequena com sabão de coco ou neutro sem cheiro. Isso previne o surgimento de irritações cutâneas e alergias. E atenção, não use nenhum produto que deixe cheiro, como os amaciantes.. Quanto mais simples, melhor.

Dicas de como organizar e manter tudo limpo

Na hora de guardar as roupas, mantenha o cuidado e atenção das etapas anteriores. Tenha disponível um lugar limpo e previamente higienizado para manter a qualidade e zelo que você teve até aqui. E convenhamos, nada melhor do que abrir as gavetas e ver aquelas roupinhas lindas.

Anote algumas dicas que podem facilitar o seu dia a dia nessa hora. Em caso de dúvidas no final deste conteúdo, fale com a gente que a gente te ajuda.

  • Observe as etiquetas e a qual tamanho elas pertencem. Isso irá te ajudar na hora de organizar tudo nas gavetas por tamanho e ordem de uso. Depois disso, remova as etiquetas internas que podem acabar incomodando a pele do seu pequeno.
  • Adquira sacos plásticos organizadores, pode ser aqueles de supermercado, para acondicionar as peças separadas de acordo com as que serão mais usadas primeiro, e assim por diante. Lembre-se que quanto melhor o acesso que você tiver, mais fácil será a sua rotina de trocas e banhos, principalmente no período do pós-parto.
  • Use uma fita adesiva ou etiquetas para identificar cada tamanho e tipo, como body, culote, meias, camisetas e tudo mais.

Depois disso, relaxe e curta cada pedacinho da sua experiência. Seja como pai ou mãe, a espera ansiosa por uma criança é uma experiência inesquecível e deve ser vivida ao máximo. Cada dia, semana e mês que passa, mais perto fica o momento de conhecer esses bens tão esperados.

E para se preparar ainda melhor para essa chegada tão incrível, acompanhe o nosso blog e saiba tudo sobre maternidade e filhos. Esperamos que esse momento seja repleto de paz e harmonia para sua família. Até mais!

Guia da introdução alimentar: saiba como e quando fazer

Imagem de um bebê se alimentando ao ar livre

A introdução alimentar é uma das fases mais gostosas da vida do bebê! É quando o vemos experimentando alimentos novos, desenvolvendo o paladar, e tudo isso rodeado de gargalhadas e expressões faciais. Mas, ainda assim, nesse período é muito importante que a mamãe e o papai estimulem hábitos alimentares saudáveis.

Sabendo disso, introduzir alimentos novos ao bebê é uma responsabilidade grande para a família e, por isso, é natural que várias dúvidas surjam, afinal nós queremos fazer tudo direitinho e não queremos deixar faltar nada, não é?

Imagem de uma papinha de bebê com arroz, feijão, ovo, brócoli e cenoura

Mas não se preocupe, nós da Dipano criamos um guia completo que tira as dúvidas comuns sobre a introdução alimentar, assim, te auxiliar a conseguir fazer tudo de um jeito leve e tranquilo, tanto para você e para o bebê. Vamos navegar juntos nesse universo de descobertas? Continue a leitura.

Imagem de um bebê se alimentando com abacate

Introdução alimentar: quando começar?

A introdução alimentar deve começar a partir do sexto mês de vida do bebê, é o que a OMS (Organização Mundial da Saúde) e o Ministério da Saúde recomendam como adequado. Até esse tempo se completar, os pequenos precisam se alimentar exclusivamente de leite materno, que oferece todos os nutrientes que eles precisam. Então nada de líquidos (água, chás ou sucos) e alimentos sólidos para o bebê até os 5 meses, tá bem?

Inclusive, você sabia que pode continuar amamentando mesmo após começar a introdução alimentar? Sim! O principal órgão de saúde do mundo prescreve que o aleitamento materno pode ser continuado até os dois anos de idade, claro, se for possível e saudável para a mamãe também. É uma chance de aumentar cada vez mais o vínculo afetivo com o seu amor.

Existe um jeito certo de começar?

Como o bebê vai experimentar novos sabores e consistências de alimentos, você precisa fazer uma transição lenta e gradual. Comece pelas papinhas amassadas e, com o passar do tempo, vá acrescentando outras consistências como pedaços de frutas, por exemplo.

Nesse momento, é muito importante que os papais e mamães tenham em mente que é a primeira vez que o bebê experimenta sabores tão diferentes e, ainda, pode ser que nas primeiras tentativas seja um pouco desconfortável. Mas, tenha paciência e muito amor para acompanhá-lo a cada dia na descoberta desse universo novo.

Se o pequeno se recusar a comer um alimento, não force, tá? Nem se desespere. Espere um tempo e tentar novamente em outra chance. Nós sabemos que você consegue e será bom para evitar traumas ao bebê. Bom, agora que já entendemos a importância dessa fase ao bebê e à família, vamos ao passo a passo para começar a introdução alimentar.

Veja também: SOS Cólica do bebê: como aliviar e quais são as causas?

O que dar primeiro na introdução alimentar?

Bom, vamos falar agora sobre os alimentos permitidos na introdução alimentar e as melhores formas de oferecer ao seu bebê. Como ele passará a conhecer outras texturas além do líquido do leite, é importante dar alimentos amassados manualmente, para que ele faça a transição do líquido para o sólido bem gradualmente, sem estranhar tanto. Para isso, é claro que não poderíamos deixar de falar das famosas papinhas:

Papinha salgada

Escolha vegetais como abóbora, cenoura, batata, brócolis, chuchu e abobrinha, por exemplo, para compor o cardápio. Cozinhe e amasse bem, variando a textura de acordo com cada fase. Ah, não se esqueça: nada de temperos ou sal!

Veja outros alimentos indicados para fazer a papinha salgada:

  • Cenoura
  • Couve-flor
  • Lentinha
  • Batata-doce
  • Aveia
  • Mandioca
  • Milho
  • Ovo
  • Carne vermelha
  • Frango

Papinha de fruta

Nessa fase é importantíssimo introduzir frutas na alimentação do bebê. Para fazer a papinha é bem fácil: escolha as frutas e amasse. Lembre de variar as texturas, para seu pequeno experimentar de tudo. Ah, não é indicado adicionar açúcar, tá? Mas então, quais frutas dar na introdução alimentar? Confira a lista:

  • Maçã
  • Manga
  • Pêra
  • Banana
  • Melão
  • Mamão
  • Açaí
  • Tâmaras
  • Laranja
  • Melancia
  • Entre outras

Quando inserir líquidos?

Junto com a introdução de alimentos, a partir dos 6 meses de idade você pode começar a oferecer um pouco d’água ao seu bebê, no intervalo entre as refeições. Em localidades mais quentes, a quantidade pode ser maior.

Imagem de um bebê tomando água

É muito importante lembrar: use água para matar a sede do bebê e evite ao máximo usar sucos, refrigerantes ou outras bebidas que contenham açúcar. A partir dos 12 meses você já pode começar a dar sucos naturais a ele, mas precisa ser feito da própria fruta e com 0 adição de açúcar ou adoçantes.

Leia: como tratar e prevenir assaduras de bebê

Dicas para iniciar a introdução alimentar

Até aqui você já aprendeu quais os alimentos e formas adequadas de oferecê-los aos bebês, certo? Mas nós temos mais algumas dicas que farão toda a diferença para tornar essa experiência mais segura e tranquila para o bebê e que deixarão os pais orgulhosos em viver mais essa etapa junto aos pequenos. Anote para colocar em prática!

Preste atenção na temperatura

Não esqueça de verificar se a comida está muito quente antes de oferecer ao bebê. Experimente antes com uma colher diferente da que será usada pela criança. Ah e evite soprar para esfriar, porque qualquer micro-organismo da sua boca pode passar para o alimento.

Imagem de comida de bebe no prato

Mantenha as mãos limpas na hora da refeição

Parece básico. mas tem muita gente que se esquece e a higiene das mãos passa batido. Lave bem as mãos e os alimentos enquanto prepara a refeição do bebê. Ah e não se esqueça de limpar bem a mãozinha da criança antes de dar o papá. Nessas horas, qualquer micro-organismo indesejado pode causar uma alergia no bebê, então todo cuidado é pouco.

Ajuste a posição da criança

Imagine colocar o bebê na cadeirinha e ele ficar todo torto? Quando ele é muito pequeno, sua formação muscular ainda está se desenvolvendo e provavelmente ele vai gastar energia se equilibrando, pode ficar com o pescoço torto e coluna encurvada… Isso, além de fazer mal, não ajuda em nada na aceitação do alimento. Não queremos isso, não é?

Enquanto o bebê não consegue chegar à postura sentado, você pode dar os primeiros alimentos com ele seguro e confortável no colo mesmo. Conforme a criança for crescendo e já conseguir se equilibrar vá experimentando usar a cadeirinha, até ele conseguir ficar em uma postura correta para alinhar a coluna e organizar os órgãos, tudo isso para tornar digestão mais fácil.

Aproveite o momento e estimule sentidos

A introdução alimentar é um momento mágico, uma fase gostosa para os pais e filhos descobrirem coisas novas juntos e criarem mais laços afetivos. E também é a ocasião ideal – e necessária – para começar a desenvolver melhor os sentidos do bebê.

Imagem de frutas em um pratinho de bebê

Você pode ajudar seu pequeno a conhecer novos sentidos como tato e olfato, use a refeição para estimular as habilidades dele. Aos poucos dê a colherzinha para ele tentar comer sozinho, por exemplo. Pode fazer muita sujeira no começo? Sim! Mas calma, porque isso faz parte e com o passar do tempo fica mais fácil.

Deixe a criança livre para tocar os alimentos e sentir a textura, ensine como cheirar antes de colocar na boca, é o seu momento para estimular novos momentos na vida do bebê. Crie um clima agradável e divertido para a criança. Brinque e comemore junto a cada colherada que o bebê papar tudo!

É uma ótima oportunidade de testar o método BLW (baby-led weaning), em uma tradução livre significa “desmame guiado pelo bebê”, metodologia desenvolvida pela britânica Gil Rapley que funciona assim: ofereça alimentos em pedaços para o bebê e deixe que ele mesmo se alimente com as mãos. Ele vai escolher o que lhe causa mais curiosidade e, claro, apetite.

Varie a alimentação conforme a fase do bebê

A Cartilha de Introdução alimentar criada pelo Ministério da Saúde traz recomendações importantes para crianças que mamam leite materno e fórmula láctea. Conforme as orientações, você pode oferecer:

  • 6 meses: leite materno livre, papinha de fruta e papinha salgada.
  • 7 meses: leite materno livre, papinha de fruta, papinha salgada, frutas in natura e vegetais cozidos.
  • 12 meses: leite materno livre, frutas in natura, pães, vegetais cozidos, comidinhas em pedaços pequenos.

O que não fazer na introdução alimentar?

Existem alguns erros bastante comuns que papais e mamães podem cometer, mesmo tentando acertar ao máximo na hora de começar a introdução alimentar com os pequenos. Mas calma, por mais que sejam comuns, você pode evitar! Veja o que não e bom fazer:

  • Exagerar no começo: o bebê é pequeno então não se assuste se ele não comer a quantidade que você escolher. Vá aos poucos.
  • Forçar a criança: se ela não gostou daquela fruta espere outra oportunidade. Forçar pode criar traumas alimentares.
  • Dar alimentos processados: dê preferência aos alimentos in natura, são saudáveis e tem tudo o que o bebê precisa.
  • Misturar sabores: não misture doce com salgado, separe as refeições e deixe seu bebê descobrir os sabores separadamente.
  • Se desesperar: crie um clima agradável para a criança a cada refeição. É um momento de descoberta dela e de alegria para vocês, aproveitem!
  • Não amamentar: a OMS e o Ministério da Saúde recomendam continuar a amamentar. Mais e mais nutrientes para o bebê!
  • Escolher a cadeirinha errada: opte sempre por fazer as refeições na cadeirinha que deixe o bebê com uma boa postura (e isso já o ajuda a acostumar a comer na mesa).
  • Distrações como brinquedos ou tablets: a atenção da criança deve estar voltada 100% ao alimento para não comer em excesso.

Bom, com essas dicas nós temos certeza que você se sentirá mais confiante para começar a introdução alimentar do seu bebê e que vão viver ótimos momentos juntos. Nós estamos ansiosos e ficaremos felizes em ter te ajudado a se preparar para essa fase que é tão especial.

Sabe um outro assunto que gera bastante dúvidas? O desfralde do bebê! Se você já está pensando nisso, nós fizemos um guia com tudo o que você precisa saber. Está aqui no blog, não deixe de ver. Continue acompanhando a gente e até o próximo post!

Com quantos meses o bebê senta sem apoios? Confira!

Imagem em destaque de um bebê

Guia da maternidade: com quantos meses o bebê senta?

Ser mamãe e papai é uma delícia! Afinal, em cada fase do desenvolvimento do bebê, há uma infinidade de descobertas, tanto para os pais quanto para os pequenos. Hoje, este post é para você que está lidando com um dos momentos mais fofos do pequeno: o momento que ele já senta sozinho. Confira!

Estimulando o bebê: pode deixar ele sentado aos 4 meses?

Antes de qualquer coisa, os pais sempre precisam estar acompanhando o desenvolvimento do bebê, pois mesmo tendo alguns parâmetros dos meses mais comuns, nem sempre o nosso filho vai estar dentro deles. Às vezes, demoram mais ou até adiantam alguns passos. Então, para saber se já pode colocar o bebê sentado com apoio, isso aos 4 meses, primeiro perceba se ele já tem força e estabilidade no pescoço.

Vamos explicar! De forma geral, a medula óssea é importantíssima para mandar os impulsos nervosos pelo corpo, que é basicamente o que faz nosso cérebro mandar na gente, e isso nos permite levantar a cabeça, ficar em pé e por aí vai.

Então, quando o bebê estiver mais desenvolvido, ele vai começar a levantar a cabeça, olhar para os lados e, com o tempo, vai ter força para rolar e sustentar o seu tronco um pouquinho. É nesse segundo momento que você já pode começar a deixar ele um pouco sentado com um apoio confortável.

Mas, se a gente for levar as regrinhas à risca sobre: com quantos meses o bebê senta com o apoio? A resposta é: com quatro meses. A ordem seria: aos 3 meses ele começa a mexer a cabeça, aos 4 ele começa a ter força no tronco, aos 7 ele fica sentado sozinho, aos 9 meses ele engatinha. Por fim, com 1 ano ou mais ele começa a andar.

Algumas crianças até mesmo pulam a etapa de engatinhar. E tem como estimular o nosso pequeno, para ajudar ele a desenvolver a coluna? Claro! Continua lendo abaixo:

Confira também: como tratar e prevenir as assaduras do bebê!

Quando começar a estimular o bebê a sentar?

Existem diversas formas e momentos para que você ajude a estimular o seu filho. Por volta dos 3 meses, quando ele estiver levantando a cabeça, deite-o de barriga para baixo um pouco, para que ele brinque de avião. Essa postura de cabeça levantada vai ajudar o pequenino a desenvolver força no pescoço! Mas cuidado para não deixar muito tempo nessa posição.

Quando ele tiver uns 4 meses e você achar que ele ainda precisa de uma forcinha para se sentar, você pode ajudar com um exercício abdominal. Deite-o de barriga para cima e segure em suas axilas, o ajudando a levantar um pouco e o deixar sentadinho por uns dois segundos. Depois deite-o de novo e repita esse exercício algumas vezes, assim o seu filho vai desenvolver melhor o abdômen e a força.

Faz mal sentar o bebê de 3 meses?

Sabendo que alguns pequenos são mais adiantados e, que tem como ajudar o bebê a se exercitar, será que tem problema deixar o seu filho sentadinho com três meses? Na verdade, sim. Isso porque, mesmo que ele já esteja mais desenvolvido, você corre o risco de colocar muita pressão na coluna do pequeno enquanto o deixa sentado, e isso poderia lhe dar problemas de coluna. Então, para não correr esse risco, é melhor esperar completar quatro meses.

Confira também: tudo que precisa saber sobre Fraldas Dipano e cocô do bebê

Cuidados extras com bebês de até 3 meses:

Para que o seu filho cresça bem e saudável, existem algumas recomendações. Algumas atitudes, às vezes frequentes, podem acabar dando sérios problemas para o bebê. Por exemplo, não o deixe dormindo sozinho, sempre fique por perto, você no quarto dele ou ele no seu – na verdade, seria bom fazer isso até o primeiro ano de vida –, porque nunca sabemos quando algo vai acontecer.

Além disso, os pequeninos têm o sistema imunológico em formação, então evite ir em lugares fechados e com muita gente, assim como é sempre bom evitar pessoas doentes ao redor. Sendo pai, mãe, irmão, tio, ou qualquer outra ligação, separe o bebê dos doentes. Também é importante evitar praias e piscinas!

Não ofereça água, chazinho ou remédios para o bebê, a menos que o pediatra recomende. E mais, nunca passe protetor solar ou repelente até o 6 meses, ao invés disso, coloque roupas com proteção UV e evite o sol forte ao máximo. Para finalizar – e o mais importante – nunca deixe o seu bebê chorar por um longo período de tempo. Ele precisa de você, do seu colo e do seu cuidado! Quando o bebê chora, ele precisa de algo: seja por sono, fome, frio, calor, fralda suja ou a mera necessidade de carinho.

Quanto a deixá-lo sozinho, especialmente em lugares altos, é sempre bom lembrar que os pequenos são bem imprevisíveis e podem rolar a qualquer momento, então cuidado! E para evitar que o bebe se sufoque com cobertas ou outros itens, coloque-o no berço com roupinhas que o deixem aquecido, sem cobrir com nada extra.

Então, o que achou do nosso conteúdo de com quantos meses o bebê senta e como ele se desenvolve? Esperamos que essas informações tenham esclarecido algumas das suas dúvidas. Confira nosso post sobre sangue nas fezes e o que fazer.

Sangue nas fezes do bebê: como identificar e o que fazer?

Ao ver sangue nas fezes do bebê, é normal que os responsáveis pela criança se assustem e fiquem em dúvidas sobre o que fazer em seguida. Porém, fique tranquila! Existem diversos motivos para que isso aconteça e normalmente não são situações graves. Ainda assim, esse temor é ainda bem comum, principalmente se estivermos falando de pais de primeira viagem, onde tudo é uma novidade.

Nesse post iremos abordar o que pode causar esses sangramentos, como identificar que houve uma mudança desse tipo nas fezes (nem sempre é apenas uma mancha vermelha) e, também, qual o momento em que é necessário procurar um médico – o que acontecerá na menor parte das vezes.

A Dipano se preocupa com a saúde do seu bebê e, também, em ajudar os novos papais a ter uma paternidade ainda mais tranquila. Continue com a gente e entenda o que precisa sobre esse tema, para poder prestar atenção nos fatores que podem causar sangue nas fezes e saber como agir.

Qual o motivo de ter sangue nas fezes do bebê?

Imagem de um bebê sendo consultado pela pediatra

As causas que levam a isso são variadas, podem estar ligadas tanto à alimentação quanto à alergias ou aplicação de vacina. É claro que, ao se deparar com um sangramento na fralda de seu filho, você ficará assustado, mas grande parte das vezes não é algo a se preocupar e indica apenas uma pequena mudança no funcionamento daquele organismo.

Como queremos sempre proteger nossos pequenos, saiba o que pode levar a perceber a presença de sangue nas fezes:

1. Prisão de ventre

Quando a criança apresenta dificuldades para evacuar por dois dias ou mais, é normal que ao conseguir acabe apresentando um pouco de sangramento. O mais comum é que essa prisão de ventre aconteça no momento em que começa introduzir uma alimentação mais sólida na rotina de seu bebê, fazendo com que as fezes se solidifiquem e possam fazer pequenas fissuras no reto e no ânus.

2. Assaduras

Causadas principalmente por fatores ligados à higiene e alimentação, as assaduras podem ser uma causa da presença de sangue nas fezes. Essa dermatite faz pequenos machucados na pele do bumbum na maioria das vezes, por isso que, quando as fezes são evacuadas, podem acabar piorando essas feridas e fazendo-as sangrar.

Temos em nosso blog um material completo sobre como tratar as assaduras de bebê, vale a pena dar uma olhada caso seja esse o fator que causa o sangramento.

3. Alergia alimentar

Esse tipo de sangramento também pode ser indicativo de uma alergia à proteína do leite de vaca. Ainda que seu pequeno não tome diretamente esse alimento, as partículas são passadas por meio da alimentação materna. Essa reação faz com que o estômago inflame e, por isso, acabe sangrando um pouco.

4. Efeito colateral de vacina

Um dos efeitos contrários da vacina do Rotavírus, que previne contra a gastroenterite, é a possível presença de sangue no cocô de seu bebê. Isso acontece até 40 dias após a aplicação e é normal que se apresente em níveis controlados de sangramento.

5. Diarreia

Essa deve ser a maior preocupação dentro dessa lista de possíveis motivos para o sangramento nas fezes. A diarreia com essa alteração pode ser causada por infecções intestinais, que ferem os tecidos internos do sistema digestivo, e que pode levar a uma perda alta de sangue. Ela se apresenta normalmente com febre de 38,5º/39º e um sentimento de cansaço e fraqueza extrema por parte da criança.

Atenção aos alimentos com cor vermelha

Estão nessa lista porque podem enganar os pais, é necessário se atentar a quais alimentos você deixou seu bebê ingerir. Itens como beterraba e tomate podem alterar a coloração natural das fezes, mas ainda assustam os adultos. Por isso, antes de começar a se apavorar, preste atenção nos detalhes e saiba se seu filho comeu ou não alimentos vermelhos.

Agora, aprenda como identificar melhor se seu pequeno está com algum sangramento. Continue lendo!

Como identificar o sangue nas fezes

Imagem de um varal com fraldas ecológicas

Apesar de parecer óbvio, nem sempre é tão simples identificar o cocô com sangue. Não necessariamente haverá uma grande mancha vermelha que indique esse fator. O que realmente acontece na maioria das vezes, e que mostrará que existe algo diferente ali, é que as fezes ficam bem mais escuras e com um odor mais forte. No site da Dipano, você encontra fraldas e absorventes nas cores branco ou bem claras, justamente para que os cuidadores possam observar alterações, tanto do xixi, como do cocô.

Isso acontece porque os bebês possuem uma alimentação baseada no leite materno quando são mais novos, por isso os resíduos que evacuam não são tão sólidos. Quando acontece um sangramento, seja por qualquer um dos motivos que falamos anteriormente, ele se mistura às fezes, escurecendo a coloração normal dela.

As manchas vermelhas com sangue concentrado e mais perceptíveis, ocorrem quando o cocô já está mais duro, seja pela mudança de alimentação ou por uma prisão de ventre. Nessa situação, indica que há uma fissura anal.

Quando procurar um médico para meu bebê?

Em casos de diarreia, principalmente se ela estiver acompanhada de febre ou cólica – observe se seu filho apresenta sinais de dor ou incômodo –, a medida correta é levá-lo com urgência ao pediatra. A preocupação aqui é que esses sintomas indicam algum tipo de infecção intestinal, sendo a única causa realmente grave de sangramentos desse tipo.

É claro que quando observamos sangue nas fezes do bebê o primeiro pensamento é procurar um médico, mas nem sempre é necessário tomar essa medida com tanta pressa. Nos casos que não envolvem a diarreia, a consulta a um especialista serve mais para um alívio dos pais, pois existem opções do que fazer em casa mesmo para controlar essa situação.

Mas preste atenção: essas recomendações de soluções caseiras são para casos em que o sangramento foi um evento pontual e controlado. Se perceber que é algo recorrente e que a criança está perdendo muito sangue, procure o pediatra mesmo que não seja um caso de disenteria.

O que fazer em casa para evitar o sangue nas fezes do bebê

Para evitar que isso ocorra, é necessário identificar o que causou esse problema e tratar esse ponto. Se for alergia ao leite de vaca, corte esse alimento da dieta tanto da mãe quanto da criança, pois a proteína é passada também pelo aleitamento materno.

Já as assaduras são tratáveis com pomadas específicas e com um cuidado redobrado na limpeza das regiões suscetíveis a elas. No caso de efeito colateral da Rotavirus, basta apenas observar se não está perdendo muito sangue e aguardar parar pois essa consequência acontece até, no máximo, 40 dias após a aplicação.

Se o fator que causou o sangramento foi o endurecimento das fezes que causa da prisão de ventre, a solução está na mudança da consistência dos alimentos. Deixe as papinhas mais líquidas e aposte em frutas com mais água para que o que precisa ser evacuado retorne a textura normal e não machuque a criança.

Esperamos que esse post tenha te tranquilizado e ensinado a como lidar ao se deparar com sangue nas fezes do bebê. A Dipano busca ajudar pais e mães ao trazer conteúdos de qualidade para cuidar dos pequenos. Vale a pena fazer a leitura do post sobre Tudo que você precisa saber sobre fraldas de pano e o cocô do seu bebê!

Prisão de ventre no bebê: e quando o cocô não vem?

Você é mamãe ou papai e seu bebê está tendo dificuldades para fazer cocô? Se sim, aqui você vai saber tudo o que precisa para lidar com essa situação da forma correta!

Para elaborar este conteúdo, nós contamos tanto informações de mães de várias viagens e também de informações compartilhadas pela Doutora Tatiana Magri, em seu canal no Youtube. Trouxemos aqui todas as melhores e mais importantes informações!

O que fazer: recém nascido com intestino preso? É normal?

Imagem de um bebê deitado sorrindo

Se o seu bebê é recém nascido, já sabe que é comum o bebê fazer cocô logo após as mamadas. Contudo, quando ele completa seus 1 ou 2 meses, é muito comum que a frequência de evacuação diminua, podendo ficar dias sem fazer cocô. Se a alimentação é exclusivamente leite materno, não se preocupe se o seu bebê demorar uma semana ( até 10 dias!) para evacuar.

Isso porque o intestino está tentando encontrar o próprio ritmo e o LM é absorvido em sua totalidade pelo organismo. Se o seu bebê se alimenta de leite artificial, ou ambos os tipos de leite, o fato de não evacuar com frequência causa desconforto ao bebê. Neste caso, com alguns dias sem evacuar, procure ajuda médica.

Se esse não é o seu caso, veja algumas maneiras de solucionar esse problema.

Massagens para ajudar o seu bebê a evacuar

Existem dois tipos de exercícios que você pode fazer com seu bebê, um é mais focado em massagem e o outro é mais focado em movimentos. Ambos vão ajudar a estimular e pressionar o intestino, ajudando o cocô a sair. Vamos lá?

Massageando a barriguinha do bebê

As massagens podem ser feitas com ou sem roupinha. Primeiro, deixe ele deitado de barriga pra cima, mas se você for fazer isso em seu colo, sente com as pernas juntinhas e coloque a cabeça dele entre seus joelhos, bem centralizado. Você também pode colocá-lo em uma cama ou sofá. Em seguida, deixe as perninhas dele para cima, apoiadas no tronco.

  • A primeira massagem é feita com a mão em formato de concha, coloque-a apoiada em cima da região do umbigo. A massagem deve ser feita em movimentos circulares, começando da parte inferior da sua palma, passando por toda a superfície lateral de sua mão até voltar para a palma, assim contornando e pressionando a região ao redor do umbigo.

Com a mão em formato de concha, você coloca bem em cima do umbigo do bebê e começa a massagear em movimento circular. Apoie a parte inferior da palma da mão e vá fazendo os movimentos circulares mudando o apoio da mão. Faça isso algumas vezes.

  • A segunda maneira é indicada que tenha um óleo ou creme. Com dois dedos você vai massagear ao redor do umbigo do seu filho, com calma, em ambos os sentidos, pressionando de leve, para estimular o intestino. Depois de fazer isso algumas vezes, ainda com os dois dedos, você vai massagear a região com “pisadinhas”, como se sua mão fosse um bonequinho sapateando na barriga do seu bebê.

Você também pode conferir aqui como tratar e prevenir assadura nos bebês, para que seu filho fique confortável com as fraldas!

Outras opções de massagens: bicicletinha, perninha e movimento em X

Ainda na mesma posição das massagens, você vai segurar o calcanhar do seu pequeno para fazer movimentos com as perninhas dele. Primeiro comece com a bicicletinha, dobrando uma perninha e esticando a outra, depois invertendo e, assim, a própria perna do seu filho vai estar pressionando a barriguinha, ajudando a estimular a digestão.

Depois de algumas repetições, faça o movimento de dobrar as duas pernas juntas, sem pressionar muito, ok? De leve você vai dobrando e deixando um pouquinho pressionado e depois volte, repetindo algumas vezes. Sempre confira se o seu bebê não está muito desconfortável com os movimentos!

Por fim, faça em movimento de X. Você vai dobrar uma perna dele na direção oposta, por exemplo, se você vai dobrar a perna esquerda, pressione ela ao lado direito da barriga do seu filho. Se você quiser, depois de repetir isso algumas vezes, deite-o em seu colo de barriga para baixo, com cuidado, e massageie as costas um pouco, porque ajuda a liberar alguns gases.

Como saber se o bebê está com prisão de ventre?

A melhor forma de notar isso é percebendo, por exemplo, como anda a frequência de evacuação. Vem diminuindo muito? Faz muitos dias que ele não faz cocô? É um sinal de prisão de ventre. Além disso, repare se a barriguinha dele está mais durinha ou inchada, se ele vem tendo gases ou cólicas. Além disso, existem formas de tratar a cólica do bebê, confira aqui.

Por fim, se o cocô dele estiver vindo em forma de bolinha, mais durinha, ou se ele estiver chorando muito, especialmente aquele choro sofrido de dor, quando estiver evacuando, ele provavelmente está com prisão de ventre.

Prisão de ventre em bebê que já começou a comer

Assim como existe a prisão de ventre natural entre os recém-nascidos, quando ele começa a comer alimentos além do leite, é muito normal que tenha um período de adaptação intestinal, por isso é importante dar ao seu filho alimentos com bastante fibra e frequentemente dar água para ele.

O que é bom para soltar o intestino do bebê?

Vale relembrar que, mesmo com o neném começando a se alimentar, você ainda não deve dar remédios para ele. Deixe que o intestino comece a se acostumar com a alimentação diferente. Primeiro lugar existem os alimentos clássicos que são ótimos para soltar o intestino:

  • Ameixa;
  • Mamão;
  • Pera;
  • Melão;
  • Kiwi;
  • Abacate
  • Abóbora;
  • Brócolis;
  • Vagem;
  • Cenoura;
  • Aveia em flocos nas frutas;
  • Fio de azeite nas comidas salgadas.

Além disso, é importante que você sirva essas frutas em sua forma natural, para que o bebê possa aproveitar melhor os nutrientes e as fibras. Além disso, deixar que ele seja ativo, engatinhar para lá e para cá, se movimentando bastante, também vai ajudar para que ele faça uma digestão melhor.

Receitas caseiras para ajudar o bebê a evacuar

Nós já te demos os melhores alimentos para servir quando ele está com prisão de ventre, mesmo assim, nós também trouxemos algumas receitas de papinha para que você tenha sempre algo para dar ao seu filho. Vem conferir:

Papinha de banana com mamão

Essa papinha ajuda tanto a combater quanto a prevenir esses problemas, então em um prato, você amassa uma fatia de mamão papaia, sem as sementes nem a casca e ao lado dele você amassa meia banana nanica. Sirva um do lado do outro mesmo e se certifique de que não ficou nenhum pedaço inteiro.

Papinha de batata doce com cenoura

Para que seu bebê mantenha um bom funcionamento do intestino e, além disso, se alimente de betacaroteno, vitamina A, B e C e também melhore o sistema imunológico dele, faça essa receita. Cozinhe em água, no fogo médio, por 7 minutos, uma batata doce pequena e meia cenoura, descascadas e cortadas em cubinhos.

Depois de escorridos, espere ficar morno e amasse os alimentos separadamente, para seu bebê comer. Você pode adicionar uma proteína (desfiada ou amassada) e algum legume, como feijão ou grão de bico, amassados.

Papinha de abacate com banana nanica

Para que seu filho se alimente de muitas gorduras boas e fibras, aliviando os problemas intestinais, amasse duas colheres de sopa de abacate e meia banana nanica, servindo na hora.

Papinha de abóbora e brócolis

Essa receita é ótima como almoço e além de ter bastante vitamina A, B5, B9 e cálcio, ela também ajuda no desenvolvimento saudável do seu filho. Por isso, cozinhe a abóbora a vapor e amasse, espere que fique morna e sirva junto com o brócolis cozido a vapor e picado.

O que achou de nossas dicas? Esperamos que entendendo melhor sobre prisão de ventre em bebê, você consiga ajudar e saber o que fazer para seu bebe com dificuldade de evacuar. Você pode conferir também o nosso post com tudo o que você precisa saber sobre Fraldas de Pano. Até a próxima!

Como tratar e prevenir assadura de bebê | Dipano ensina!

Imagem de um bebê posando para foto

Confira como prevenir e lidar com as assaduras na pele dos bebês

As assaduras e irritações são a fonte de grande preocupação para os pais dos pequenos. Quem acabou de receber o seu bebê nos braços sabe bem como é preocupante este incômodo, e muitos pais ficam em dúvida sobre como tratar essas assaduras.

Por este assunto ser tão presente no cotidiano das famílias, a gente preparou um texto bem completo, com o objetivo de te ajudar a entender como essas lesões se formam, as melhores formas de prevenção e também o tratamento. Continue conosco e acompanhe! Mas antes, vamos às principais causas.

Principais causas das dermatites infantis

Imagem de um bebê comendo uma fruta

Quando o assunto são as irritações na pele dos pequenos, é muito importante que o tratamento seja direcionado à prevenção, e para prevenir, é preciso entender o porquê delas acontecerem, até para podermos tratar da melhor forma.

Muitas pessoas pensam que se trata apenas de uma questão relacionada à higiene e limpeza da pele do bebê. No entanto, as causas vão além disso.

Fraldas sujas

Normalmente, permitir que o bebê fique muito tempo com a fralda suja é um dos principais motivos. Isso porque o xixi contém uma substância chamada amônia, que acaba irritando a pele.

Além disso, o contato com o cocô também destrói a barreira de proteção da pele dos pequenos, principalmente o cocô mais líquido. O resultado desta combinação é o surgimento das assaduras.

Alimentação

Nem sempre estamos lidando apenas com as fraldas sujas, porque a alimentação é um fator relevante nesse conjunto. Cada idade possui uma indicação adequada de alimentos que devem ser fornecidos ao seu filho.

Mesmo quando o alimento é exclusivamente leite materno, os alimentos consumidos pela nutriz vão afetar diretamente a produção do cocô. Então, o melhor a se fazer nesse caso, é seguir da forma mais assertiva possível a recomendação do pediatra e preferir alimentos menos ácidos, contribuindo para com as eliminações do seu bebê.

Medicamentos

Se você ( ou o bebê) precisa de antibióticos, isto pode causar diarreias e com elas, a assadura. A região acaba de ser higienizada e em seguida recebe mais umidade e a acidez do cocô, provoca inevitáveis assaduras.

Produtos de higiene

A gente já imagina que a pele dos pequenos é super delicada, não é mesmo? Então, seguindo essa linha, quanto menos substâncias forem utilizadas na fabricação dos produtos infantis, melhor para o bebê.

Isso vale também para a escolha dos lenços umedecidos, que são bastante utilizados para a higiene, mas que apresentam em sua composição componentes prejudiciais à pele dos pequenos. Em vez deles, prefira opções que não contenham produtos químicos e perfumes, como os nossos biolenços. Um simples algodão com água pode resolver a limpeza, sem agredir a pele do seu bebê. Se a pele estiver sensível, substitua a água por um chá de camomila, que acalma a pele e ajuda na recuperação

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria do Rio Grande do Sul (SBP), as dermatoses resultantes da composição das fraldas descartáveis (corantes + o pó químico que se transforma em gel com a umidade) e itens de higiene com perfumes e outros aditivos químicos, acometem cerca de 25% das crianças. Então, um problema possível de ser minimizado, é pensarmos nessa alternativa de fraldas reutilizáveis, e claro, que sejam devidamente trocadas e limpas.

Mas, afinal, como prevenir as assaduras?

A boa notícia para os papais e mamães é que todas essas questões que trouxemos até aqui têm ótimas alternativas, que são grandes aliadas na prevenção.

Se pensarmos na higiene do bebê, podemos considerar que a melhor maneira de realizar esta tarefa seria com lenços umedecidos e sabonetes neutros que estão livres de produtos que façam mal à pele do bebê, ou até mesmo utilizando uma água em temperatura morna e uma esponjinha ou tecido de malha de algodão.

Essa limpeza nos sugere que o tecido das fraldas, conforme dissemos, é muito importante, por não conter nenhum produto químico. Ah! E nada de demorar para trocar a fralda. Afinal, poucas coisas incomodam tanto o bebê quanto ficar suja por muito tempo, concorda?

Usando fraldas de pano, não é necessário o uso de pomadas preventivas para assaduras. Use-as somente se a pele apresentar alguma irritação. Isto pode ocorrer, no período da dentição, ao usar antibióticos ou na introdução alimentar. Se a assadura é recorrente, recomendamos investigação com o pediatra do seu bebê. Ela pode estar relacionada a alguma intolerância ou alergia alimentar.

Meu bebê está assado, e agora?

Se o seu bebê está assado, confira as seguintes recomendações:

  • Manter o local limpo e seco é uma medida essencial para ajudar na recuperação da pele.
  • Após a higiene, seque bem a região, polvilhe amido de milho ou polvilho e diminua o intervalo das trocas.
  • Deixar o bebê peladinho por um período ajuda bastante, além do banho de sol.
  • Você também pode fazer um sachê com aveia e colocar na água do banho do bebê e deixá-lo por algum tempo nesta água, fazendo um “banho de assento”.

Gostou? Com este texto, esperamos realmente te ajudar a lidar com as irritações e assaduras, que é um problema tão comum e incômodo para os bebês, através de uma boa higiene, substituição de fraldas mais adequadas, e visita regular ao pediatra do seu filho.

Aproveitamos para convidar você a acessar o nosso site e conferir uma variedade de fraldas reutilizáveis com estampas lindas para você usar no seu filho e ajudá-lo a reduzir os riscos das dermatites e assaduras, e de quebra, economizar os seus recursos e contribuir com o meio ambiente! Vale a pena conferir!

SOS cólica do bebê: como aliviar e quais são as causas?

Imagem de um pai com o bebê no colo

SOS cólica do bebê: como aliviar e quais são as causas?

Os sinais de cólica do bebê preocupam a grande maioria dos papais e mamães de primeira viagem, mas acredite, esta condição é comum nos corpinhos recém-nascidos. Afinal de contas, toda alimentação e novos hábitos são estreias e adaptações para os pequenos.

Buscando acalmar os ânimos familiares, nós, da Dipano, preparamos um blog post completo contando como aliviar as cólicas infantis, além de mostrar as causas mais frequentes destas dores abdominais que tiram o sono dos bebês!

Confira os detalhes abaixo!

O que causa cólica no recém-nascido?

Imagem de um recém nascido deitado de bruços

Existem muitas causas que influenciam na temida cólica no recém-nascido, mas em todas elas, a formação ainda incompleta do sistema digestório está relacionada. “Quer dizer que meu filho corre algum perigo?”. Não é bem assim, vejamos:

Nós, seres humanos, somos uma das espécies que mais necessitam de cuidados contínuos ao nascer, basta uma olhadinha carinhosa em documentários com outros filhotes, logo vemos que os nossos pequenos demandam maiores adaptações.

Em relação a nutrição não seria diferente, as cólicas dos bebês são sinais de que o corpo reage a:

  • introdução de algum alimento novo;
  • entrada de ar ao mamar;
  • alguma intolerância alimentar;
  • estresse adaptativo.

É essencial ainda, buscar o apoio de um especialista para entender o que anda causando as dores na barriguinha do recém-nascido, desta forma, tanto a origem é identificada, quanto os melhores tratamentos. Aliás, por falar em cuidados, selecionamos as 10 melhores maneiras de aliviar as cólicas do bebê: confira!

Como aliviar a cólica do bebê?

Para o alívio da cólica do bebê, são recomendados cuidados que respeitem o desenvolvimento infantil, contribuindo com a nutrição saudável e hábitos de descanso que propiciam bem-estar aos pequenos e toda a família, em dicas como:

  1. Massagem suave com as pontas dos dedos na barriguinha do recém-nascido;
  2. Compressa quente para suavizar as dores abdominais;
  3. Movimentos de bicicletinha nas perninhas;
  4. Estimular que o bebê libere o ar após mamar;
  5. Comprimir levemente as perninhas na barriga com a criança deitada;
  6. Banho morninho;
  7. Toques da mamãe e papai;
  8. Amamentação saudável;
  9. Compressa com camomila na barriguinha;
  10. Medicamentos somente com recomendação médica.

É comum que o recém-nascido apresente irritação com as cólicas, portanto, ofereça muito carinho para que ele entenda: vai ficar tudo bem. A Dipano promove as relações familiares com muito afeto e cuidados presentes. Entenda mais sobre cada um deles!

Massagem no bebê

As massagens cuidadosas na barriguinha contribuem para o alívio das cólicas do bebê. Desta forma, escolha um óleo infantil suave, umedeça bem os dedos, e com movimentos circulares, ofereça uma massagem relaxante em seu pequeno!

Compressa quente

Tenha cuidado com as compressas quentes, tudo bem? Elas são ótimas auxiliares nos quadros com gases, mas também podem oferecer riscos de queimaduras na pele infantil. Lembre-se, todo órgão do recém-nascido é sensível.

Movimentos de bicicletinha

Os movimentos de bicicletinha são ótimos para mandar as dores passear bem longe! Com o bebê deitado, realize pedaladas, levando as perninhas a formar um ângulo de 90°. Para tornar o momento mais divertido, coloque um som ambiente animado!

Após mamar

É fundamental estimular a liberação de ar na criança após cada mamada. Desta forma, o acúmulo de gases será menor, evitando as indesejadas dores no estômago: invista neste hábito!

Comprimir as perninhas

Ao comprimir as perninhas em direção ao abdômen, mamães e papais oferecem o máximo cuidado contra a cólica no bebê. Afinal de contas, com este movimento o ar é liberado, aliviando dores e desconfortos, do jeitinho que eles merecem.

Banho relaxante

Nada como um bom banho relaxante para melhorar o dia, não é mesmo? Com as crianças não seria diferente, os banhos com água morna são poderosos auxiliares no combate das cólicas infantis, além claro, de deixá-los ainda mais cheirosos!

Toques com carinho

Os toques com carinho são capazes de melhorar a sensação de dor nos bebês. Quem afirma isso são os pesquisadores em comportamento infantil da Universidade Oxford, comprovando o poder do afeto nas rotinas familiares. interessante, não é mesmo?

Alimentação saudável

Lembra quando a Dipano ressaltou a importância da alimentação saudável no desenvolvimento do bebê? Pois bem, uma rotina nutritiva na amamentação é capaz de aliviar ou mesmo prevenir cólica no recém-nascido: nós reagimos ao que ingerimos.

Camomila alivia cólica

Antes da introdução alimentar infantil, que costuma iniciar aos 6 meses, os chás ainda não devem ser ingeridos. Portanto, faça compressas quentes com camomila e aplique na barriguinha do bebê. Lembre-se, a temperatura precisa ser equilibrada, está bem?

Medicamentos com recomendação médica

Os medicamentos contra cólica são efetivos, mas devem acompanhar recomendações médicas. Afinal de contas, toda ingestão na infância demanda atenção, além de cuidados devidos. E nada como buscar auxílio de um especialista no assunto, não é mesmo?

Gostou de conhecer mais sobre o tema? Pois acompanhe os conteúdos semanalmente publicados aqui no blog, além de seguir a Dipano nas redes sociais. Aproveite também para conhecer mais sobre fraldas ecológicas e novidades para o seu bebê.

Um abraço quentinho e até a próxima!

Exterogestação: a gestação que acontece depois do parto!

Imagem de mãe e filho

Você sabe o que é a Exterogestação? Entenda mais sobre o assunto!

Quando o bebê nasce tudo é novo ao seu redor, uma vez que ele estava no útero quentinho e silencioso da mãe. A fragilidade nessa fase é notável, pois o bebê depende inteiramente dos pais para realizar tarefas básicas, principalmente da mãe quando a fome aperta e ele deve ser amamentado.

Todo esse cuidado e novidade para o recém-nascido leva o nome de Exterogestação e é esse assunto que nós, da Dipano, iremos abordar no post de hoje.

Afinal, o que é Exterogestação?


A palavra em si significa uma gestação que acontece fora do útero, uma vez que o prefixo extero faz referência ao que está fora de algo. De início, parece ser uma concepção um pouco estranha, visto que o parto já foi realizado e o período gestacional chegou ao fim.

Entretanto, ao analisar as situações pelas quais os bebês passam logo após o seu nascimento, devemos repensar a nossa estranheza. Para quem estava em um lugar quietinho e confortável, estar ao lado externo pode ser um pouco caótico.

Saiba mais sobre o desenvolvimento do bebê e o que acontece mês a mês durante seus primeiros dias de vida com a Dipano!

A iluminação, as vozes e a agitação rotineira não é comum para os pequeninos, que estão tentando reconhecer o ambiente em que vão crescer. Dessa maneira, a exterogestação é uma forma de acalmá-los diante de tanta informação que eles não estão preparados para receber.

Ela funciona a partir de ações que levam o bebê a se sentir próximo das circunstâncias que aconteciam durante os 9 meses de gravidez. Para isso, a mãe e o pai precisam fornecer ambientes propícios para que essa sensação preencha o dia a dia do bebê.

De onde vem esse conceito?

O conceito de exterogestação surgiu no século XX, por meio de estudos realizados pelo antropólogo Ashley Montagu. De acordo com suas pesquisas, as quais foram feitas a partir da análise de bebês e outros filhotes de mamíferos, os recém-nascidos humanos são os que mais precisam de cuidados durante o processo de desenvolvimento.

Por conta disso, a capacidade de sobrevivência de uma criança depende totalmente de seus progenitores, que devem zelar pelo filho gerado. Assim, é necessário alimentá-lo, colocá-lo para dormir nos horários corretos e acompanhá-lo durante toda sua trajetória de evolução para se acostumar com o mundo externo.

Assim, o profissional confirmou sua teoria de que os primeiros meses de vida dos pequenos deveriam ser uma extensão do tempo vivido dentro do útero. Portanto, ao estar do lado de fora, é necessário acompanhar cada pequeno progresso conquistado por eles.

Como podemos realizar a exterogestação na prática?

Imagem de mãe segurando o bebê no colo

Ações simples realizadas no dia a dia são as principais para que o bebê se sinta em um ambiente um pouco mais confortável após sair da maternidade. Assim, conferir pequenos detalhes fazem toda a diferença na adaptação do recém-nascido.

Confira algumas práticas que podem auxiliar na comodidade dos frágeis e pequeninos:

1 – Deixar a luz baixa

No útero da mulher não existe iluminação e, por isso, os olhos dos bebês estão acostumados com espaços mais escuros. Dessa forma, tente deixar luzes mais baixas nos cantinhos em que ele irá ficar, seja para dormir, tomar banho ou se alimentar.

Uma boa dica é optar por luminárias com iluminações ajustáveis, em que é possível regular a incidência de luz em um determinado ambiente.

2 – Colocar sons aconchegantes

Imagem de mãe e bebê ao ar livre

Inúmeras pesquisas comprovam que os barulhos dentro do útero soam como pequenos ruídos, baixos. Sendo assim, os bebês estão acostumados com esses sons e, por isso, tendem a se acalmar quando sonâncias similares são tocadas.

Existem muitos vídeos espalhados pela internet, os quais reproduzem frequências similares às que o bebê costumava ouvir quando estava sendo carregado pela mãe em sua barriga. Portanto, faça uma tentativa e escolha aquele que mais se adequa ao seu filho ou filha.

3 – Tire o incômodo da gravidade

A vida intrauterina não possui gravidade e, por isso, quando nascem os bebês eles começam a sentir o peso do corpo e de todas as coisas que estão ao seu redor. Na maioria das vezes, isso é realmente desconfortável, até porque são sensações totalmente diferentes. Dessa maneira, quando colocado de costas, o bebê pode acabar chorando mais do que o comum, uma vez que o peso do seu corpo está sendo sustentado por ele.

Então, tente colocá-lo de bruços, mas atenção: não é recomendado que os recém-nascidos durmam nessa posição, uma vez que eles podem se afogar. Então, sempre siga o que é indicado pelo Ministério da Saúde, coloque o bebê para dormir de barriga para cima. Esse assunto foi até mesmo o tema principal de uma campanha desenvolvida por órgãos governamentais.

4 – Alimentação em livre demanda

Imagem de mãe e bebê posando para foto

Durante a gravidez o bebê se alimenta a todo momento, uma vez que o cordão umbilical é sua fonte de nutrição. Sendo assim, as “refeições” são feitas de acordo com a vontade do pequeno e a alimentação da mãe. Portanto, amamente-o seguindo horários padrões, para que ele não sinta fome.

Normalmente, você saberá reconhecer e diferenciar os prantos do seu filho, inclusive aqueles que estão pedindo por comida. Então se atente para atender as necessidades do seu pequenino.

5 – Enrole seu filho como um pacotinho

Imagem de mãe e bebê

Dentro do útero o bebê fica todo apertadinho, visto que o local não possui grandes dimensões. Por isso, suas posições são bastante limitadas. No entanto, isso não é incômodo nenhum aos bebês, eles gostam de ficar empacotadinhos.

Sendo assim, enrolá-los em mantas é uma ótima maneira de imitar a imobilidade que percorre todos os nove meses de gravidez. Você vai notar que eles irão começar a se acalmar e a irritabilidade vai diminuir.

O choro também pode indicar cólicas, o que é normal nos primeiros dias de vida das crianças. Para ficar por dentro do assunto confira nosso post: SOS cólica do bebê: como aliviar e quais são as causas?

A exterogestação é uma novidade para você? Não se preocupe! Muita gente não conhece esse conceito e ainda assim realizam as ações necessárias para manter o bebê seguro e confortável, principalmente durante os 3 meses de vida fora do útero.

Acompanhe o desenvolvimento do seu filho e tenha em mente que ele necessita de todo e qualquer cuidado materno e paterno.

O que achou do nosso post? Compartilhe em suas redes sociais e mantenha seus amigos atualizados sobre o assunto também!

Não deixe de acompanhar nossas publicações e até a próxima!

Desfralde noturno: o último adeus às fraldas!

Imagem de bebê usando fralda de pano

Desfralde noturno: passo a passo

Com um piscar de olhos as crianças crescem, os meses vão passando, as roupinhas ficam curtas, os movimentos a cada dia mais autônomos, e desfraldar surge como uma possibilidade entre as próximas conquistas dos pequenos.

Hoje, nós da Dipano convidamos papais, mamães e todos os familiares para uma conversa sobre o desenvolvimento infantil e o passo a passo um desfralde noturno gentil.

Siga conosco nessa importante leitura!

Quando saber quando chegou a hora?

Imagem de bebê posando para foto usando uma fralda de pano

Assim como no processo diurno, o desfralde noturno acontece respeitando a maturação infantil. Não existe idade ou hora certa para acontecer, portanto, respeite o tempo que cada criança leva para conquistá-lo, sem comparações ou pressões.

De toda forma, existem alguns sinais que os pequenos dão de que é chegada a hora de ter autonomia das fraldas noturnas, confira conosco logo abaixo quais são eles:

  • Está com fralda seca ao acordar;
  • Solicita ida ao banheiro, não apresentando xixi de escape;
  • A criança já consegue verbalizar “xixi” e “cocô”;
  • Desconforto com o uso da fralda.

Caso estas percepções já aconteçam, é o momento perfeito para iniciar o desfralde completo dos pequenos. Leve sempre em consideração o diálogo aberto em família, além do mais, cuide para não constranger a criança ao longo do processo.

O desfralde noturno está intimamente ligado à autoconfiança e ao controle das necessidades físicas, então é importante ser porto seguro das crianças nesse momento, está bem? Nós da Dipano auxiliamos neste assunto, confira os tópicos logo abaixo.

Como conversar sobre desfralde noturno?

Algumas famílias veem o desfralde noturno como um tabu, mas acredite, este é um processo natural para o desenvolvimento de toda a criança, e leva o tempo necessário da maturação de cada uma delas.

É comum a ansiedade que o tema costuma gerar em mamães e papais de primeira viagem, porém, reiteramos a importância de manter diálogos com outras famílias que já passaram pelo desfralde, e principalmente com a criança que está desfraldando.

Não sabe ainda como conversar sobre o assunto em família? Veja os tópicos e passo a passo que nós preparamos dicas que serão uma mão na roda, ou melhor dizendo, um adeus às fraldas.

Passo a passo do desfralde noturno

O desfralde noturno é uma extensão das práticas que as famílias já seguem com os pequenos no início do desfralde, portanto, é importante respeitar o tempo que cada criança leva para realizar o processo.

Não é do dia para a noite que os pequenos irão deixar as fraldas, assim como não são instantâneas as maturações humanas. Para isso, alguns passos são essenciais aqui, como o diálogo aberto, atenção aos líquidos consumidos e comemoração de cada conquista.

Deseja aprender um pouco mais sobre o passo a passo para o desfralde noturno? Nós da Dipano contamos os detalhes:

1. Tenha diálogos francos

O primeiro passo para o desfralde gentil é o diálogo franco e aberto com a criança. Diga que ela está conquistando novas fases e que agora poderá dormir sem a fralda noturna.

Não faça promessas de recompensações pelo desfralde, o pequeno já pode desenvolver confiança com conversas sinceras!

2. Evite líquidos ao dormir

Sabe aquele hábito de tomar leite antes de dormir? É importante que ele seja gradualmente substituído para que o desfralde aconteça da melhor maneira evitando, assim, os familiares escapes noturnos.

Caso aconteça, não há motivos para broncas, acolha a criança em um diálogo sobre a importância deste processo.

3. Visitem o banheiro antes de dormir

Realize idas ao banheiro antes de dormir. Para o processo do desfralde noturno, é saudável que os pequenos vejam este ambiente como um lugar agradável para estar.

Adicione objetos ou acessórios lúdicos no espaço, convidando a criança a visitar o banheiro antes do descanso noturno.

4. Utilize capa impermeável no berço

Uma ótima alternativa no processo de desfralde noturno é colocar uma capa impermeável no berço, explicando que ela auxiliará a criança nas noites em que escapes acontecerem.

É fundamental manter lençóis e roupinhas próximas para a troca nesses casos, dizendo que no dia seguinte vocês tentarão novamente!

5. Comemore cada conquista!

Não deixe passar a oportunidade de felicitar os pequenos a cada conquista alcançada. Acordou e percebeu que as roupas estão sequinhas? Comemorem juntos! Mas não faça comparações com outras crianças que já passaram pelo desfralde, está bem?

Outro ponto importante que nós da Dipano destacamos, é a importância de papais e mamães estarem alinhados com as práticas educativas nas escolinhas. Caso o desfralde já aconteça por lá, converse com a criança sobre realizarem em casa, também.

Confira também em nosso blog o porque por que utilizar fraldas ecológicas enquanto o momento do desfralde ainda não chegou.

Gostou de conhecer mais sobre o processo do desfralde noturno gentil? Acompanhe também os nossos conteúdos preparados semanalmente aqui no blog, além de compartilhar com familiares e amigos que iniciaram este processo.

Um abraço quentinho e cheio de afeto: até a próxima!

Guia do desfralde: tudo o que você precisa saber!

Imagem de um bebê ao ar livre usando uma fralda de pano

O desfralde é uma etapa do desenvolvimento infantil em que a criança começa a ganhar mais autonomia sobre seu próprio corpo, aprendendo mais sobre suas necessidades fisiológicas e deixando de usar as fraldas.

Cercada de mitos e incertezas, essa etapa é ideal para o desenvolvimento dos pequenos. Hoje, iremos lançar luzes nessa discussão, contando com os mais recentes estudos em autonomia na infância.

A Dipano preparou um guia completo que aborda questões sobre como desfraldar, quais os momentos mais oportunos para o processo, e fundamentalmente, como fazer do desfralde uma fase de descobertas positivas, não invasiva e sem comparações entre bebês.

Convidamos mamães, papais e toda a família a descobrir mais detalhes sobre o tema! Vamos lá?

Antes do desfralde: entenda a relação

@maedemaite.cecilia-6

Antes de falarmos sobre o processo do desfralde em si, é fundamental entendermos que tipo de relação os bebês mantêm com as fezes e a urina. Acredite, estudos em psicologia infantil confirmam que estes fatores são fundamentais para o bem-estar das crianças.

O bebê ainda não diferencia as fezes ou o peito materno como algo exterior ao seu corpinho, apenas após os oito meses de idade inicia-se a diferenciação que irá se fortalecer com o passar do tempo. Portanto, o processo do desfralde é mais complexo e importante do que as mentes adultas imaginam.

Esteja atento aos sinais de maturidade que seu bebê emite, eles apontam quando é chegado o momento para desfraldar, mas alivie as pressões sociais, o processo que o filho de algum parente passou, não será o mesmo do seu bebê.

Lembre-se: desfralde infantil não é uma competição de adultos.

Quando desfraldar? Conheça o melhor momento!

Yasmin-Mota-Coelho-com-2-aninhos-filhinha-da-Stéphannie-Mota-3

Já que a relação do bebê com o cocô é inicialmente tão próxima, como pais e mães saberão que é chegada a hora do desfralde? Apesar de existirem idades indicadas para certos processos de maturação, a criança é quem oferece com maior precisão esta resposta!

Estudos em desenvolvimento infantil nas últimas décadas apontam para os seguintes dados:

  • Maior autonomia

Dos 18 aos 24 meses, a criança inicia o processo de autonomia sobre os esfíncteres, músculos que oferecem controle na saída das fezes e urinas: ofereça para ela, ambiente livre de pressões e cobranças;

  • Atenção às necessidades

Dos 2 aos 3 anos, a criança começa a criar compreensões mais refinadas sobre as necessidades fisiológicas, momento indicado para papais e mamães iniciarem a ideia do desfralde.

É muito comum que, nesta fase, os pequenos demonstrarem rejeição ou desconforto ao cocô, afinal de contas, eles começam a entender a importância da higiene, bem como do autocuidado.

  • Mais que idade em números: maturação

Mais importante que aguardar o número de meses exatos para o desfralde, é entender que, cada criança possui um tempo próprio de maturação.

E acredite, este tempo não está relacionado com as importâncias que adultos costumam lançar mãos.

É chegada a hora do desfralde: confira alguns sinais!

Yan-filhinho-da-Jack-Moraes-@jack.a.moraes-@morada

Agora que compreendemos mais sobre a importância do desfralde respeitoso, iniciamos com a observação atenta dos sinais que as crianças dão, de que é chegada a hora de desfraldar.

Papel e caneta em mãos? Aqui vão dicas essenciais para auxiliar a família toda.

1. Subir e descer escadas

Observe se a criança apresenta movimentos ágeis e seguros ao subir e descer uma escada. Caso ela não apresente dificuldades nos movimentos, temos um sinal evidente que o processo do desfralde pode ser iniciado.

2. Repulsa ao cocô

Como adultos entendemos a rejeição às fezes, seja pelo cuidado necessário com a higiene pessoal, ou porque em algum momento, em nossa socialização aprendemos que o cocô precisa ser descartado.

Mas antes mesmo do reforço social, em algum momento as crianças começam a rejeitar as fezes: atente-se para estes sinais!

3. Comunicação efetiva

É fundamental que exista diálogo sobre as necessidades infantis com as crianças. Estudos apontam que, famílias com comunicação efetiva, auxiliam o desenvolvimento dos pequenos de maneira atuante.

Desta forma, passar por crises ou momentos de luto em cada fase de maturação, torna-se uma tarefa natural, e as crianças irão comunicar a intenção de ir ao banheiro e usar a patente.

Desfralde noturno e desfralde diurno: existem diferenças?

Imagem de um bebê ao ar livre usando uma fralda de pano

Sim, existem diferenças básicas entre os desfraldes noturno e diurno, e para entendê-las, convidamos você a conhecer mais alguns processos da Psicologia Infantil.

É comum que o desfralde diurno aconteça primeiro. Isto porque, de dia, a criança está atenta aos novos movimentos que adquire, aos vocabulários que aprende, enfim, o mundo surge como uma grande oportunidade de desenvolvimento.

Desta forma, a atenção sobre os músculos é maior, possibilitando um controle eficiente dos esfíncteres antes de urinar ou solicitar a ida até o banheiro para o número dois. Já durante as noites, exige-se um preparo fisiológico especial.

Por fim, a recomendação é que você faça deste um momento lúdico, oferecendo espaço para diálogo, brincadeiras e muita diversão!

Apresente o banheiro como um lugar legal!

Entendemos até aqui, que o desfralde é um processo de muito diálogo, portanto, inclua no dia a dia da família, conversas relacionadas ao bem-estar e conforto de todos.

Convide a criança a conhecer mais o banheiro, acrescentando objetos decorativos lúdicos e agradáveis, verdadeiros sinais de que ali é um ambiente seguro e acolhedor.

Crianças aprendem com a observação, portanto, inclua nas conversas exemplos de crianças mais velhas que já utilizam o banheiro, mas nunca como uma comparação, e sim como uma bela inspiração para o desfralde gentil.

Reforce os pontos positivos

Tanto para o desfralde, quanto para outros processos do desenvolvimento infantil, é importante dialogar sobre as conquistas atingidas. Ao dizer naturalmente para a criança: “você conseguiu”, estimulamos também a autoconfiança e saúde psíquica.

Mas e quando os pequenos não conseguem chegar a tempo no banheiro? A Dipano lhe conta a melhor atitude!

Escapou…e agora?

É comum que ao longo do desfralde aconteçam cocôs e xixis de escape, não há motivos para preocupações ou broncas. Lide com naturalidade, conversando sobre a importância de ir até o banheiro, mas seja claro ao dizer que entende que não deu tempo naquela ocasião.

Vale ressaltar que, algumas situações podem tornar esse processo ainda mais delicado, como a separação dos pais, mudanças de residência ou escola, e ainda, a chegada de mais um irmãozinho. Em casos como esses, o estresse pode conseguir ganhar espaço. Se o processo de desfralde de seu filho tende a ser mais complexo, aprofunde-se sobre o assunto lendo nosso conteúdo sobre desfralde sem estresse.

E lembre-se, como os especialistas em desenvolvimento infantil afirmam: o desfralde é um processo, encare-o como um passo a passo, não de dias, mas de meses ou até anos.

Reforce o olhar atento e carinhoso, a estrada pode ser longa, mas recheada de alegrias. E em todas elas, a Dipano acompanha a sua família. Siga de olho nos conteúdos preparados aqui no blog, e compartilhe também com os seus familiares.

Um abraço quentinho e até a próxima!

Tudo o que você precisa saber sobre Fraldas de Pano e o cocô do seu bebê

É comum as pessoas torcerem o nariz quando o assunto é fraldas de pano vs número 2. O que vem na cabeça logo de cara é a imagem daquele cocô na fralda que VOCÊ vai ter que lavar, porém as coisas mudaram, e MUITO.

Neste texto vamos te ajudar a quebrar paradigmas e mostrar que é possível SIM, usar fraldas mais ecológicas e mais saudáveis para o seu bebê graças a tecnologia têxtil que permite a lavagem 100% à máquina por centenas e centenas de vezes sem perder a qualidade dos tecidos e sua funcionalidade. Mas antes de falarmos sobre a lavagem, vamos conhecer a importância dos alimentos nesse processo e o que esperar em cada fase. Vamos lá:

Primeiros cocôs do bebê: Mecônio

É caracterizado pela textura pegajosa e quase preta.

Esta fase dura por volta de 5 ou 6 dias e pode manchar as Fraldas Dipano

Se você fizer questão de usar Fraldas Dipano desde os primeiros dias, sugerimos que seja usado o Forrinho Biodegradável para proteger os tecidos e facilitar a lavagem ou até mesmo usar fraldas descartáveis até esse cocô começar a clarear e ficar com consistência líquida a pastosa.

Para lavar as fraldas de bebês que mamam exclusivamente no peito, basta tirar o absorvente de dentro bolso e pôr direto na máquina de lavar ou acumular em Saco Impermeável por 3 ou 4 dias até a hora de lavar. Não deixe de molho.

Não é preciso passar por água, tirar o grosso, nada, nada mesmo! Esse cocô se dilui na água por completo.

É importante não deixar de molho e lavar conforme recomendamos, pois os tecidos especiais podem estragar ou perder a absorção:

O “Mantra” é simples, não complique!

– Ciclo curto de pré lavagem, sem sabão, para tirar os excessos

– Ciclo Longo de lavagem com pelo menos 2 centrifugações.

– 4 dedos de água acima das fraldas já molhadas para sobrar um espaço para bater bem.

– Pouco sabão. Uma colher rasa para uma máquina de 10kg cheia. Se for lavar menos fraldas, use menos sabão.

– As manchas devem ser expostas ao sol no momento da secagem. O sol oxida tudo!

As trocas devem ser feitas a cada cocô.

O xixi pode ir acumulando como nas fraldas descartáveis e a troca deve ser feita quando estiver próximo da saturação.

Lavagem da Fralda na introdução alimentar

A partir da introdução alimentar aquele cocô de consistência líquida a pastosa ganha textura mais firme e precisa ser removido da Fralda antes de reservá-la para lavar. Essa fase é curta e costuma durar até o organismo se adaptar ao alimento sólido. Se o cocô é muito pastoso, improvise uma espátula para removê-lo da fralda.

Nesta fase recomendamos usar os Forrinhos Biodegradáveis que funcionam como se fosse uma peneirinha facilitando o descarte do cocô.  É uma mão na roda!

Como-usar-os-forrinhos sem www

Depois do descarte é só tirar os Absorventes da Capa e colocar tudo direto na máquina de lavar ou acumular em Saco Impermeável até o dia da lavagem.

É importante não deixar de molho e lavar conforme nosso Mantra rs.

– Ciclo curto de pré-lavagem sem sabão.

– Ciclo Longo de lavagem com pelo menos 2 centrifugações.

– 4 dedos de água acima das fraldas já molhadas para sobrar um espaço para bater bem.

– Pouco sabão! Uma colher de sopa rasa para uma máquina de 10kg cheia.

Se após a lavagem ainda ficarem manchinhas, basta estender ao sol!

Depois que essa fase passar o cocô fica com uma textura mais firme e uniforme muito mais fácil de desgrudar da fralda e aí já sabe: tire os sólidos e siga o Mantra.

Não tenha medo de olhar para as eliminações do seu bebê. Elas podem contar muito sobre qualquer alteração na saúde dele.

Escolher pano ou descartável para o seu bebê é uma grande decisão, mas não precisa ser a mais difícil!

 

 

 

 

E quando tem cocô, como faz?

Em primeiro lugar não esqueça nunca, jamais, de jeito nenhum que o excesso de sabão e outras alquimias lidas por aí podem danificar os tecidos das Fraldas Dipano que foram desenvolvidos para que possam ir à máquina sem qualquer esforço e sem que haja necessidade de qualquer produto especial para lavar. A lavagem incorreta pode impedir a absorção dos Absorventes e ocasionar vazamentos.

Vamos ao temido cocô rs.

Para cocôs de bebês ainda em amamentação exclusiva, você só precisa tirar os Absorventes de dentro do Bolso da Fralda e por direto na máquina. Se você quiser, pode ir acumulando em sacos impermeáveis ou num balde com tampa. SEM água. Não é preciso enxaguar, nem esfregar, nem deixar de molho, nada disso é necessário, pois o cocô de bebês que ainda estão sendo 100% amamentados, é solúvel.

Os cocôs de bebês em alimentação sólida devem ser jogados no vaso sanitário para tirar o excesso antes de pôr na máquina ou armazenar.

Os cocôs mais durinhos são fáceis de lidar e despregam da fralda facilmente. Já os cocôs mais grudentos, geralmente cocôs de bebês em introdução alimentar, podem precisar de uma ajudinha com uma espátula, um palito de sorvete ou com o chuveirinho higiênico. Tire os Absorventes do Bolso e armazene em Sacos Impermeáveis por até 3 ou 4 dias ou ponha direto na máquina de lavar.

Regra eficiente para higienizar corretamente as Fraldas Dipano

  1. Tire os Absorventes do Bolso e o grosso do cocô se houver,
  2. Utilize sempre o ciclo longo da máquina com pelo menos 2 enxagues.
  3. Observe se o nível de água é o suficiente. O nível de água deve estar 4 dedos de água acima das Fraldas/roupas já molhadas.
  4. Lembre-se de usar apenas a quantidade de sabão recomendada.
    ***Uma colher de sopa rasa de sabão (líquido ou em pó) são suficientes para uma máquina de 10kg. É pouco mesmo!

Desfralde sem stress

Aqui algumas dicas que podem ajudar você a reconhecer sinais que indicam que o seu bebê está pronto para o desfralde e assim evitar stress e frustrações.

Antes de iniciar este processo observe os sinais de maturidade neurológica ( prontidão para o controle dos esfíncteres) e os sinais emocionais do seu bebê.

Não se deixe influenciar pela idade ou opinião de outras pessoas. Cada bebê é único, tem seu ritmo de desenvolvimento e não deve ser comparado a outros bebês.

Uma dica fácil para se perceber que o bebê já é “competente” para controlar os esfíncteres é quando consegue subir e descer escadas sem o apoio das mãos e saltar com os dois pés do chão.

Muito bem, isso é um grande sinal, mas não é tudo. Observe também se o seu bebê  já consegue se comunicar e se está pronto para deixar as fraldas.

^4E5C5A660E4174B0B4A95CB31329AEFCCE2A5BF1DBEA70C2ED^pimgpsh_fullsize_distr.png

São momentos mais delicados para o desfralde, aqueles que podem gerar alguma insegurança, como o nascimento de um irmãozinho, mudança de escola, separação dos pais…

Uma vez que perceba sinais de maturidade e prontidão, não há necessidade de nenhum artificio, mas algumas coisas podem ajudar:

– Use a fralda do dia a dia com o Absorvente de Bambu em cima do bolso. Os Absorventes de Bambu deixam a sensação de molhado fazendo com que o seu bebê perceba melhor as suas eliminações, ajudando assim a sua percepção. Além disso os Absorventes de Bambu são super absorventes e seguram qualquer “acidente”.

– O verão é a estação mais propícia para desfraldar, então aproveite, principalmente se o lugar onde você mora é frio em outras estações do ano.

– Deixe a criança com menos roupa possível, para que a ida ao banheiro seja mais fácil.

– Convide seu bebê a usar um troninho ou mesmo o vaso sanitário, com um banquinho para dar apoio aos pés ou um redutor de assento. Esse convite é apenas um convite, não gere expectativas. rsrs

E o tempo todo lembre-se de que o seu filho está dando um grande passo no seu desenvolvimento e no auto conhecimento. Isso não é linear, mas vem como as ondas que voltam um pouco para avançar com mais força.

Com amor, com um olhar atento e muito respeito é possível fazer deste, um momento tranquilo.

www.fraldasdipano.com.br

 

Fraldas Dipano em Creches e Berçários

Pais que optaram por usar fraldas de pano, podem ter dificuldades em encontrar uma creche ou berçário que aceite o uso por pura falta de informação, mas não esqueça que sendo creche pública ou privada, é seu direito usar fraldas de pano, porém sabemos que nem todo mundo conhece as fraldas modernas e isso pode causar confusão e desconforto na hora de escolher onde seu filho vai ficar.

Compilamos aqui algumas dicas de mães que introduziram as Fraldas Dipano em creches e berçários para dar uma ajudinha nessa hora.

1-         Leve 1 fralda para mostrar e demonstrar como se usa.

2-         Mostre como você vai mandar as fraldas todos os dias.

3-        Leve também um saquinho para fraldas molhadas para mostrar como você vai pegar as fraldas sujas no final no dia.

creche

No dia a dia da creche, o ideal é facilitar o máximo para os cuidadores, mandando as fraldas já com os absorventes dentro do bolso da fralda, e se possível,  com uma folhinha de Bioliner esticada em cima do bolso para facilitar a troca de cocô.

Acreditamos que a creche/berçário deve ser a continuidade da forma como você cuida do seu bebê, por isso é importante que a sua escolha seja respeitada e venha de encontro com o seus valores e conceitos.

Desejamos que esta passagem seja um período tranquilo para a mamãe e bebê <3

Dipano até debaixo d´água!

Image

Você sabia que as Fraldas Dipano também podem ser usadas na piscina ou na praia? Tudo que tem a fazer é usa-la sem os absorventes!

As fraldinhas da Dipano não desbotam,  deixam seu bebê confortável e seguram o cocô como uma fralda descartável. A diferença é que com as Fraldas Dipano você lava e reusa inúmeras vezes como se fosse um maiô ou sunguinha.

Nossa dica é separar 1 ou 2 capas só para serem usadas na água da piscina ou do mar e arrasar com o seu pequeno na maior tranquilidade no estilo Dipano, economizando dinheiro e cuidando da natureza.

Aproveite o verão até debaixo da água com Dipano Fraldas Ecológicas!

Visite nossa loja online e veja as cores e estampas que vão deixar seu bebê o máximo!

www.fraldasdipano.com.br

Novo Kit Degustação da Dipano

O Novo Kit Degustação da Dipano está de dar água na boca!

Recheado de novidades que acabaram de chegar em nossa loja. Agora mais completo e com desconto de 71,00 reais.

Perfeito para quem está iniciando e quer conhecer nossos produtos antes de investir.

Deguste:

1 Fralda em PUL na  estampa Sapinhos, fechametno em velcro + 1 Absorvente Noturno com Reforço.

1 Fralda em PUL na cor Verde, fechamento em botão + 2 Absorventes de Microfibra com 3 camadas cada 1.

1 Fralda em Minky na cor Creme, fechamento em botão + 2 Absorventes de Microfibra com 3 camadas cada 1.

1 Absorvente com 3 camadas de microfibra revestidos com Bambu que podem ser usados em cima do bolso, transformando a Fralda em Capa. Ótimo para desfralde!

1 Absorvente revestido com Fleece que pode ser usado em cima do bolso, transformando a Fralda em Capa. Deixa o bumbum sequinho e permitem o reuso da capa.

1 Saquinho em PUL com fechamento em ziper na cor Verde que cabem até 6 fraldas molhadas.

1 Rolo de Bioliners feitos com 100%  fibra de Bambu que são uma mão na roda para trocas de cocô durante passeios mais longos, para usar na creche ou simplesmente para facilitar no dia a dia. Use e jogue no vaso sanitário como se fosse  um papel higiênico pois são 100% biodegradáveis.

Usar Fraldas Dipano é divertido, mais econômico, mais saudável, mais ecológico e agora está ainda mais fácil. Experimente. Você vai se apaixonar!

http://www.fraldasdipano.com.br

%d blogueiros gostam disto: