Cocô de bebê: entenda alterações em cor, quantidade e mais

Se você, papai ou mamãe, tem um recém-nascido em seus braços, saiba que observar possíveis alterações nas suas fezes é fundamental para entender sobre a saúde dele. Essas características são muito valiosas e geralmente, requeridas pelos pediatras durante a avaliação dos exames.

Os principais aspectos a serem observados, principalmente até por volta dos seis meses de vida da criança, estão relacionados à textura, coloração, odor e frequência com que evacua. Todos estes pontos costumam influenciar também em sintomas como febre, cólicas, vômitos e até mesmo aquela irritabilidade que muitos pais acabam negligenciando por não entenderem ao certo o que está acontecendo.

Por isso, hoje queremos esclarecer sobre o porquê da importância desta observação e o que essas alterações podem significar. Acompanhe conosco!

Por que observar as fezes do bebê?

Por mais comum que seja, o cocô do bebê diz muito sobre como anda a sua saúde, e isso é uma informação super preciosa para os pais. De acordo com a Organização Mundial de saúde (OMS), estar saudável significa estar completo em aspectos mentais, físicos e sociais. Mas no caso de um bebê, que ainda não pode falar, como é possível saber se ele está bem?

A resposta está exatamente nessa observação que a gente citou das fezes da criança. Os médicos pediatras membros da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) ressaltam que fezes esverdeadas, com textura grudenta, difíceis de serem limpas, amareladas ou líquidas são aquele sinalzinho de alerta que os pais precisam para iniciarem uma investigação médica.

Por isso é tão importante olhar as eliminações do seu bebê. Alguns pais que usam fraldas descartáveis, mal interagem com o cocô, rapidamente embrulhando-o na própria fralda. Já com as fraldas de pano isso é impossível, porque necessitam ser manipuladas. Aqui destacamos a importância de tecidos claros, para que qualquer alteração, tanto do xixi como do cocô, não passe desapercebida.

Quais os problemas mais comuns?

Um dos problemas mais comuns relacionados às alterações nas fezes da criança é a presença de sangue, que pode estar relacionada a uma alergia à proteína do leite. Normalmente, ocorre quando a mãe que amamenta consome derivados ou o próprio leite de vaca, ou quando o bebê mesmo já consome leite de vaca ou derivados.

Vacinas também podem ocasionar este sintoma, além de fissuras no ânus, presença de vermes, hemorroidas, infecções no intestino, entre outros pontos importantes de serem investigados.

Além do sangue, as fezes também podem apresentar muco ou catarro, indicando uma possível inflamação intestinal. Enfim, quando o intestino está doente, a dica é observar os sinais indicativos nas fezes, principalmente relacionados à sua cor, tudo bem?

Coloração das fezes: amarelo

A cor das fezes, definitivamente, fala! Como todos nós sabemos os alimentos seguem um trâmite até chegarem no intestino, e nos bebês alimentados através da livre demanda, é normal que haja coloração mais puxada para o amarelo.

Com o passar do tempo, o consumo do leite da vaca acaba alterando a cor das fezes, fazendo com que elas fiquem um pouquinho mais escuras, quase chegando no marrom. Mas, atenção: o leite de vaca não deve ser consumido por bebês menores de 1 ano de idade. Também não devem ser oferecidos os seus derivados, como queijos e iogurtes.

Bebês que consomem fórmula

As papinhas e as fórmulas podem deixar o cocô diferente, mais pastosos ou consistentes, além de alterarem também o cheiro, que pode ficar mais intenso como as fezes de um adulto mesmo.

É normal também que diminua a frequência de cocôs. Não há porque se preocupar!

Cocô esbranquiçado ou vermelho

Aqui começa o nosso sinalzinho de alerta! Cocô com cor branca ou vermelha indicam, geralmente, algum problema no fígado e que está influenciando o processo digestivo que pode ser a falta da bile, que é responsável por ajudar na digestão de gorduras.

No caso do vermelho, podemos pensar em sangramentos nos locais por onde as fezes estão passando e é essencial relatar essa mudança de cor ao pediatra. Essa cor também pode pode significar uma alta ingestão de beterraba, amora ou feijão.

Fezes verdes

A cor esverdeada no cocô é muito comum ao longo da primeira semana de vida do pequeno, principalmente se ele está sendo nutrido exclusivamente pelo leite do peito. No entanto, continue observando porque ele pode indicar a presença de alguma infecção, intolerância e até uso de remédios por parte da mamãe.

E aqui vai um alerta importante: se você notar que existe um aspecto de espuma nas fezes, pode ser um sinal de que o seu filho esteja consumindo apenas o início da mamada, que contém basicamente água. Nesse caso, evite trocar a mama para que ele possa consumir também a gordura e as calorias do leite.

Marrom escuro

Quando o cocô sai nessa cor marrom escura, o ideal é verificar se há feridas no peito da mãe que podem estar fazendo com que o bebê consuma sangue junto com o leite. Uma outra causa que pode levar a essa coloração é a suplementação com ferro, que também escurece o cocô.

Se for o caso de consumo de suplementos, tudo certo. Não é preciso se preocupar. Este problema deve se resolver assim que terminar o uso de medicamentos. Mas caso não houver uma causa em específico, recomendamos procurar a ajuda de um pediatra para entender o problema.

Frequência das fezes: qual o normal?

Conforme citamos anteriormente, é bem normal que os bebês façam cocô após as mamadas, principalmente se eles estiverem sendo nutridos exclusivamente pelo leite materno. Mas caso haja uma mudança repentina neste processo, fique atento!

Dia 1 e 2: mecônio bem pegajoso

Dia 3: mecônio menos pegajoso

Dia 4: amarelo escuro

Dia 5 a 7: amarelo mostarda

Em alguns casos, a criança pode apresentar prisão de ventre, que pode resultar de uma baixa tolerância ao leite, desidratação e até mesmo pelo consumo de alimentos que ainda não são próprios para ele e que acabam dificultando a sua digestão.

Ao contrário disso, também pode ocorrer a diarreia, que é o cocô em um formato mais líquido que o comum, podendo ser resultante de alergias ao leite e outros alimentos ou até infecção viral.

Então, como você pode notar, uma das melhores maneiras de entender como está a saúde do bebê é observando as características do seu cocô, que indicará colorações, texturas e frequências que são parâmetros fundamentais para o seu bem-estar.

Se você preferir, indicamos que você confira também esse post que fizemos explicando as características do cocô do bebê desde o seu nascimento. Confira!

%d blogueiros gostam disto: